"Serei uma primeira-ministra para todos". Michelle O'Neill faz história como primeira republicana no poder na Irlanda do Norte - TVI

"Serei uma primeira-ministra para todos". Michelle O'Neill faz história como primeira republicana no poder na Irlanda do Norte

  • CNN Portugal
  • com Lusa
  • 4 fev, 10:01
Michelle O'Neill nova primeira-ministra Irlanda do Norte (Mark Marlow/EPA)

Nos termos da co-governação resultante dos acordos de paz de 1998, a unionista Emma Little-Pengelly, empenhada em manter a Irlanda do Norte dentro do Reino Unido, foi escolhida como vice-primeira-ministra.

A vice-presidente do Sinn Féin na Irlanda do Norte, Michelle O'Neill, tornou-se no sábado a primeira líder republicana do governo local, ou seja, a favor da unificação das Irlandas.

Esta nomeação representa um ponto de viragem histórico na província britânica, com um passado marcado por três décadas de conflito sangrento.

O'Neill foi nomeada pelo parlamento [Stormont] em Belfast, na Irlanda do Norte, que reiniciou funções após dois anos de impasse ligado ao descontentamento sindical sobre os acordos comerciais pós-Brexit.

No seu discurso de tomada de posse, O'Neill evitou triunfalismos e não fez qualquer menção explícita a potenciais alterações constitucionais, focando-se no processo de reconciliação e em questões que impactam diretamente as vidas dos cidadãos.

 

"Servirei todos da mesma forma e serem uma primeira-ministra para todos. Venham de onde vierem, quaisquer que sejam as aspirações, podemos e devemos construir o nosso futuro juntos", prometeu. "Devemos fazer com que a partilha de poder funcione, porque estamos coletivamente incumbidos de liderar todo o nosso povo, todas as nossas comunidades."

O executivo de Belfast estava sem funcionar há um ano, desde fevereiro de 2023, devido a um boicote imposto pelo Partido Democrata Unionista (DUP) para pressionar Londres e Bruxelas a renegociarem os termos do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE) que mantêm o território alinhado com as regras do bloco comunitário para evitar uma fronteira física com a Irlanda.

Para o DUP, isto dificulta a circulação de mercadorias da Irlanda do Norte com o resto do Reino Unido.

Nos termos da co-governação resultante dos acordos de paz de 1998, a unionista Emma Little-Pengelly, empenhada em manter a Irlanda do Norte dentro do Reino Unido, foi escolhida como vice-primeira-ministra.

Em 2022, O´Neill conduziu à vitória eleitoral o Sinn Féin, antigo braço político do grupo paramilitar Exército Republicano Irlandês (IRA), algo inédito na Irlanda do Norte.

Contudo, foram necessários quase dois anos para que Michelle O'Neill assumisse o comando do governo local, porque os sindicalistas, ligados a elementos da Irlanda do Norte alinhados com o Reino Unido, bloquearam a assembleia local em Belfast.

Continue a ler esta notícia