Contribuintes já entregaram mais de 1,4 milhões de declarações de IRS - TVI

Contribuintes já entregaram mais de 1,4 milhões de declarações de IRS

  • Agência Lusa
  • PF
  • 10 abr 2023, 15:49
Autoridade Tributária e Aduaneira

Os mesmos dados revelam que a maior parte daquelas declarações são de pessoas que no ano passado obtiveram rendimentos apenas das categorias A e/ou H, ou seja, de trabalho por conta de outrem e de pensões

Os contribuintes já entregaram mais de 1,4 milhões de declarações de IRS, desde que se iniciou o prazo de entrega, segundo indicam os dados publicados pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT).

A campanha do IRS, relativa aos rendimentos auferidos em 2022, arrancou no dia 1 de abril tendo sido submetidas 1.412.305 declarações até à 01:00 desta segunda-feira, de acordo com as estatísticas disponíveis no Portal das Finanças.

Os mesmos dados revelam que a maior parte daquelas declarações (1.162.683) são de pessoas que no ano passado obtiveram rendimentos apenas das categorias A e/ou H, ou seja, de trabalho por conta de outrem e de pensões.

Já os contribuintes com outras tipologias de rendimentos, nomeadamente da categoria B (recibos verdes), rendas ou de capitais submeteram até agora 249.622 declarações anuais de imposto.

O prazo para a entrega da declaração anual do IRS decorre até 30 de junho e, segundo informou o Ministério das Finanças no início da semana passada, até ao final primeiro dia da campanha, dia 1 de abril, já tinham sido entregues 418.200 declarações, das quais 54% por via do IRS Automático.

Ao contrário do que tem sucedido em anos anteriores, desta vez não se registaram alterações em relação ao tipo de contribuintes abrangido pelo IRS automático.

À semelhança do que aconteceu no ano passado, os primeiros reembolsos devem começar a ser pagos ainda durante a primeira quinzena de abril.

Em 2022 e segundo os dados da execução orçamental publicados pela Direção-Geral do Orçamento, os reembolsos do IRS ascenderam a 3.523,5 milhões de euros, mais 683,5 milhões de euros do que no ano anterior.

Continue a ler esta notícia