O empresário Jack Ma cedeu o controlo do Ant Group, empresa chinesa de serviços financeiros cuja abertura histórica de capital foi interrompida em 2020 por Pequim e que está num processo de reestruturação, foi hoje anunciado.

O grupo indicou em comunicado um realinhamento da estrutura dos direitos de voto, diluindo o poder do bilionário fundador de Alibaba, para tornar a empresa mais "transparente e diversificada".

Com a mudança, considerada necessária para lhe permitir levar a cabo a esperada oferta pública inicial, o Grupo Ant dá a 10 pessoas, incluindo o fundador, direção e empregados, direitos de voto independentes.

Após a reestruturação, os principais acionistas da Ant irão "exercer independentemente os seus direitos de voto", não deixando ninguém com controlo direto ou indireto.

"Nenhum acionista, sozinho ou em conjunto com outro acionista, terá o poder de controlar o resultado das assembleias gerais", ou "nomear a maioria do conselho de administração" e "portanto... ter controlo sobre a Ant", pode ler-se na mesma nota.

A empresa, criada como filial da plataforma chinesa de comércio eletrónico Alibaba, é a operadora da Alipay, a principal plataforma de pagamentos eletrónicos da China.

A oferta pública inicial em Hong Kong em 2020 foi travada no último minuto pelas autoridades chinesas, que decidiram aumentar o escrutínio regulamentar do setor tecnológico por alegadas práticas monopolistas e ameaças à segurança nacional.

A mudança de Pequim ocorreu pouco depois de Ma ter criticado publicamente a burocracia financeira no país, e desde então o bilionário tem optado por manter um perfil discreto e, de um modo geral, evitar aparições públicas.

Confrontado com a pressão dos reguladores, o Ant Group está num processo de distanciamnto da Alibaba.

/ AM