Voluntários da Jornada da Juventude recebem formação para prevenir situações de risco face a abusos - TVI

Voluntários da Jornada da Juventude recebem formação para prevenir situações de risco face a abusos

  • Agência Lusa
  • FG
  • 15 mai, 11:33
Jornada Mundial da Juventude (Foto: Antoine Mekary/Godong/Universal Images Group via Getty Images)

É a "primeira vez que o foco das vítimas tem a sua dimensão própria no planeamento de um evento desta enorme dimensão", salienta a organização

Relacionados

Os voluntários que trabalham na sede da Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 começam, esta segunda-feira, a receber formação na área da prevenção de situações de risco e garantia da segurança dos participantes neste encontro mundial.

A iniciativa é promovida no âmbito de um protocolo assinado em março entre a Fundação JMJ Lisboa 2023 e a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), estando previsto que envolva “todos os chefes de equipa e voluntários” que participam na JMJ, agendada para Lisboa para o período entre 01 e 06 de agosto.

A organização da JMJ informou que “a formação será feita em português e inglês, de modo a ser entendida pelo conjunto de voluntários que funcionam, diariamente, na preparação da Jornada e que vêm de todas as partes do mundo”.

Projeto inovador focado nas vítimas

Aquando da celebração do protocolo, o presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, o bispo Américo Aguiar, sublinhou a necessidade de garantir que “todas as pessoas que vêm à JMJ se sintam num ambiente acolhedor, seguro”.

Já João Lázaro, da APAV, sublinhou que esta é a "primeira vez que o foco das vítimas tem a sua dimensão própria no planeamento de um evento desta enorme dimensão".

“Na linha das determinações do Papa Francisco e das medidas de prevenção adotadas pela Conferência Episcopal Portuguesa, a JMJ Lisboa 2023 assume, desta forma, o compromisso de tudo fazer no sentido de garantir que este será um grande acontecimento, em que a tolerância será zero face a qualquer tipo de abuso”, acrescenta a organização da Jornada, em comunicado.

Lisboa foi a cidade escolhida pelo Papa Francisco para a próxima edição da Jornada Mundial da Juventude, que vai decorrer entre os dias 1 e 6 de agosto deste ano, com as principais cerimónias a terem lugar no Parque Tejo, a norte do Parque das Nações, na margem ribeirinha do Tejo, em terrenos dos concelhos de Lisboa e Loures.

Os primórdios da Jornada Mundial da Juventude 

As JMJ nasceram por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

A primeira edição aconteceu em 1986, em Roma, tendo já passado por Buenos Aires (1987), Santiago de Compostela (1989), Czestochowa (1991), Denver (1993), Manila (1995), Paris (1997), Roma (2000), Toronto (2002), Colónia (2005), Sidney (2008), Madrid (2011), Rio de Janeiro (2013), Cracóvia (2016) e Panamá (2019).

A edição deste ano, que será encerrada pelo Papa, esteve inicialmente prevista para 2022, mas foi adiada devido à pandemia de covid-19.

O Papa Francisco foi a primeira pessoa a inscrever-se na JMJLisboa2023, no dia 23 de outubro de 2022, no Vaticano, após a celebração do Angelus. Este gesto marcou a abertura mundial das inscrições para o encontro mundial de jovens com o Papa.

Até ao momento já iniciaram o processo de inscrição mais de meio milhão de jovens.

Continue a ler esta notícia

Relacionados