"Não se lembra do nome da mulher". Biden goza com Trump por causa da... idade - TVI

"Não se lembra do nome da mulher". Biden goza com Trump por causa da... idade

  • CNN
  • Michael Williams e Arlette Saenz
  • 27 fev, 19:18
Joe Biden com Seth Meyers (Evan Vucci/AP via CNN Newsource)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, explorou uma nova linha de ataque contra o seu antigo e provável futuro oponente, Donald Trump, gozando com a idade do republicano, enquanto o democrata tenta virar o jogo contra um dos seus maiores problemas políticos.

Reagindo contra os críticos que dizem que a sua idade é um tema nas próximas eleições, Biden, de 81 anos, disse a Seth Meyers que "é preciso olhar para o outro tipo", referindo-se a Trump, de 77 anos.

"Ele é tão velho como eu, mas não se lembra do nome da mulher", brincou, numa aparente referência a um episódio ocorrido no fim de semana em que o antigo presidente chamou por engano "Mercedes" à mulher, Melania, durante um discurso no CPAC.

Durante a entrevista no programa "Late Night" da NBC, Biden disse que os eleitores não devem considerar apenas a idade de um candidato, mas "a idade das suas ideias".

"Este é um tipo que nos quer levar de volta", disse Biden sobre Trump. "Ele quer levar-nos de volta a Roe v. Wade, quer levar-nos de volta a toda uma série de questões que são - há 50, 60 anos, têm sido posições americanas sólidas".

A entrevista pré-gravada com Meyers teve lugar pouco depois de a Casa Branca ter anunciado que Biden visitaria a fronteira entre o Texas e o México na quinta-feira - o mesmo dia em que Trump planeia ir a Eagle Pass, Texas, a mais de 400 quilómetros de distância e o epicentro de um recente confronto entre os governos estadual e federal sobre as passagens de fronteira.

Os comentários de Biden sobre a idade de Trump podem marcar uma mudança notável na estratégia de mensagens do presidente, poucos dias depois de Trump ter vencido as primárias republicanas na Carolina do Sul, dando mais um passo em direção à nomeação presidencial do seu partido. Os dois homens não se têm atacado frequentemente por causa da idade e Trump já disse anteriormente que não acredita que Biden seja demasiado velho para concorrer à reeleição. Em vez de atacar Biden diretamente por causa da sua idade, Trump tenta pintar Biden como "incompetente" e "cognitivamente deficiente", o que, segundo ele, não tem apenas que ver com a idade do presidente.

Durante a viagem ao Texas, Biden planeia reunir-se com agentes que fazem a patrulha fronteiriça dos EUA, outros agentes da lei e funcionários eleitos localmente, para "discutir a necessidade urgente de aprovar o acordo bipartidário de segurança fronteiriça do Senado", de acordo com um comunicado da Casa Branca.

Biden reunir-se-á com os principais líderes do Congresso na Casa Branca para uma reunião de alto risco para discutir a fronteira, juntamente com a necessidade de evitar o fim do financiamento do governo e aprovar um financiamento mais urgente para a Ucrânia.

O presidente criticou frequentemente Trump durante a entrevista com Meyers, mencionando o antigo chefe de Estado poucos minutos depois de Meyers ter feito uma pergunta a Biden sobre infraestruturas.

"O último homem tinha - ele tinha uma semana de infraestruturas todas as semanas", disse. "Mas nós conseguimos fazer as coisas".

Também repetiu as críticas sobre a recente declaração de Trump de que deixaria a Rússia seguir seu caminho com os países membros da NATO que não cumprem as obrigações de financiamento.

"Quero dizer, do que estamos a falar aqui? Em nome de Deus, de quê? A ideia de que o presidente dos Estados Unidos está a convidar Vladimir Putin a invadir... países ocidentais? É bizarro, absolutamente bizarro. E é totalmente contra os nossos interesses", reiterou.

Os líderes estrangeiros, disse Biden, estão "a morrer de medo" do que um segundo mandato de Trump poderia significar para a relação entre os Estados Unidos e outros países.

"A democracia está em jogo", concluiu Biden. "Está mesmo".

Continue a ler esta notícia