Scholas Occurrentes: Francisco vai visitar em Cascais uma das escolas que ajudou a criar - TVI

Scholas Occurrentes: Francisco vai visitar em Cascais uma das escolas que ajudou a criar

  • CNN Portugal
  • MJC
  • 2 ago 2023, 15:00

Movimento educativo de caráter social foi fundado na Argentina, em 2001, pelo então arcebispo de Buenos Aires, Jorge Bergoglio

Durante mais de um mês, dezenas de pessoas juntaram-se todos os dias para pintar partes do mural que depois foi montado na marginal entre o Estoril e a sede da fundação Scholas Occurrentes, em Cascais. O projeto tem o nome de "Vida Entre Mundos" e são cerca de três quilómetros de arte que amanhã, quinta-feira, vão receber o Papa Francisco, na sua visita a esta "escola".

Scholas Occurentes. O nome é complicado, mas o seu significado é bastante simples: "escola dos vizinhos". Fazer vizinhança é a base deste movimento educativo fundado em 2001 pelo então arcebispo de Buenos Aires, Jorge Bergoglio - hoje Papa Francisco - com o objetivo de promover a integração social de alunos de escolas públicas e privadas, de todas as religiões, educando-os no compromisso pelo bem comum.

Da Argentina, o movimento chegou aos cinco continentes e está presente em 190 países. Um deles é Portugal, onde a organização chegou em 2008. Em 2019 o município de Cascais cedeu as antigas instalações de uma escola primária para a sede em Portugal de um projeto que junta a diferença e diferentes. Os cerca de 40 voluntários da Scholas Occurrentes vão a escolas, bairros, instituições, usando a arte, o desporto, a tecnologia e o pensamento para interagir com os jovens, contribuindo para a sua formação complementar. 

A Scholas Occurrentes é atualmente uma fundação pontifícia, com capacidade de autogestão, através de angariação de fundos.

"A preocupação é esta: os jovens acabam por ter uma vida que não tem sentido, problemas de saúde mental, ataques de pânico, problemas de sono, porque têm um futuro que não parece gerar nenhuma esperança", Francisco Martín, responsável pela organização em Portugal, em declarações à Agência Ecclesia. "Voltar a falar da vida dentro da educação é importante, é vital, se não educamos para a vida acabamos por não estar a educar. A missão que tem a ‘Scholas Occurrentes’ é conseguir reunir jovens de diferentes religiões, diferentes classes económicas, para criar uma cultura que gere sentido nas pessoas".

Ao longo destes anos, segundo o coordenador, já criaram uma horta comunitária e um cinema comunitário, desenvolveram também o projeto "Não estás sozinho" sobre saúde mental, na pandemia covid-19, realizaram sessões online orientadas para a saúde emocional dos jovens, o programa "Scholas Pensarmo-nos"-  "O importante dos projetos é que consiga criar comunidade: uma comunidade sem projetos acaba por não ser comunidade, e um projeto sem comunidade tem pouco tempo de vida; acho que conseguimos ver resultados na vida dos jovens", disse.

Esta quinta-feira, pelas 10:40, os jovens da Scholas Occurrentes Portugal vão poder mostrar algum desse trabalho ao Papa Francisco e também conversar um pouco com o fundador.

Continue a ler esta notícia