"A monarquia faz todo o sentido no Reino Unido. Todo! Todo! Carlos III tem sido ótimo, Camilla vai ser coroada: é a consagração do amor" - TVI

"A monarquia faz todo o sentido no Reino Unido. Todo! Todo! Carlos III tem sido ótimo, Camilla vai ser coroada: é a consagração do amor"

Rei Carlos III (Associated Press)

José Bouza Serrano, antigo chefe do Procotolo do Estado, é o autor do livro "A Viúva de Windsor" e conhecedor das monarquias europeias. Em entrevista à CNN Portugal, explica qual vai ser o papel de William após a coroação e porque é que a monarquia ainda faz sentido no Reino Unido. "A parte bonita das monarquias é a sucessão. Podem tocar em tudo, podem mexer em tudo, mas não vejo outro sistema"

Que sentido é que ainda faz a monarquia para o Reino Unido?
Todo! Todo o sentido! Quer dizer, se fizerem sondagens e inquéritos e tudo isso, eles são indissociáveis do sistema monárquico. Podem ser críticos, podem ter de vez em quando baixas de lesão, não é? E podem, em certos momentos, não estarem conectados com o seu soberano, o que não tem sido o caso porque o rei Carlos III tem feito um ótimo papel. Ele preparou-se mas arrecadou. Porque foram muitos anos na sombra da mãe, mas foi-se preparando e como é um soberano que é um homem de 70 e tal anos, mas isso acontece a todos. Todos envelhecemos, mas acho que faz todo sentido. 

Este reinado será em tudo diferente? É um homem que passa a reinar?
Sim, é só passar as coisas para o masculino e começou logo pelo próprio hino, não é? E Camilla finalmente vai ser a rainha, vai deixar de ser rainha consorte e vai ser rainha, não é? Não vale a pena, Consorte é o que eles têm empregado, é uma designação, mas de qualquer maneira agora cai porque ela vai ser coroada, portanto é rainha e no fundo é a consagração do amor de toda a vida.

Esta queda do consorte é uma coisa normal nas monarquias? A rainha dos Países Baixos também é consorte, a Letizia também era consorte e no fim são todas rainhas. 
Exatamente, são rainhas não titulares, mas são rainhas pelo casamento, mas isso depois é um apodo que cai. Acho que fica rainha de qualquer maneira. 

Falando sobre os sucessores que ficam à espera, toda a gente esperava que Carlos abdicasse para William, mas...
Não, isso é uma fantasia, ele nunca [abdicaria]. Então um homem que esteve tanto tempo à espera, à sombra da mãe, aos três anos já era herdeiro aparente e de repente ia desistir de uma coisa dessas? Não. Estamos na sequência normal dinástica. Não, essa abdicação não faz sentido. Os espanhóis costumam dizer uma coisa, 'en palácio todo es despacio', as coisas vão devagar, portanto tudo tem de chegar ao seu ponto de perfeição e eles estão a fazer isso, estão muito bem preparados. William e Kate são casal notável, são um casal estupendo e têm aqueles filhos maravilhosos, estão a fazer muito bom papel, são uma grande ajuda para o pai. É uma pena que o Harry não seja, e Carlos tem pena porque no fundo a dinastia dele era de ir para a frente com os filhos e poder dividir, digamos, as tarefas com os filhos, mas tem um braço direito que é o príncipe de Gales, que é muito bom. 

Como é que fica agora o papel do William e da Kate com esta subida do Carlos ao trono?
Eles agora são os herdeiro aparentes e depois é o George. É notável aquela fotografia com as várias gerações, em que há uma parecida com a rainha Vitória tendo nos braços o Eduardo VIII, com o filho e com o neto, e tudo aquilo encaixava perfeitamente, e anos depois aparece aquela fotografia da rainha Isabel com o filho e com o neto, e já com os netos também. E isso aqui é a parte bonita das monarquias, é a sucessão. Podem tocar em tudo, podem mexer em tudo, mas não vejo outro sistema. Este é um exemplo para toda a nação, ainda por cima aquilo é um fonte de rendimento indeterminável. Agora vão fazer uma fortuna só com o merchandising dos produtos com o rei e com a rainha.

Mas vai mudar alguma coisa na vida deles? Eles já tinham assumido muitos dos compromissos oficiais, vão ainda assumir mais? O próprio George vai ter mais responsabilidade?
O George ainda é pequenino. É, como dizia o rei Carlos relativamente aos pais, "eu faço como os macacos, os macacos copiam os pais, eu também copio os meus, foi assim que eu aprendi", e há outras coisas que vêm por osmose e por repetição. E os filhos deles pequeninos, se pensarmos, é um bocado violento levar uma criança a um funeral, mas mesmo que seja um funeral de Estado, tudo isso, mas eles são treinados de novos, de sempre. E eles no funeral da bisavó, eles estavam muito presentes, muito bem, a Charlotte então estava comovida, mas sempre, sempre a ajudar o irmão…

Charlotte será um pouco um apoio para o George como a princesa Anne foi para o príncipe Carlos.
Pois, mas sendo mais nova… Vamos ver como é que as coisas evoluem, mas a Charlotte um dia pode ser Princess Royal. Agora só pode haver uma, portanto quem é agora é a princesa Anne, e “long live the Princess Anne”, mas em princípio esse título será para a filha do príncipe de Gales.

Falando um pouco do príncipe Harry, que já disse que vai à coroação, como é que fica o papel do Harry com a subida do Carlos ao trono, como é que fica isto tudo?
Fica como sempre é o destino dele, ele era um spare, ele era a substituição para caso alguma coisa que corresse mal com o irmão, o irmão é que era o herdeiro natural. William reproduziu-se, já tem três filhos na linha de sucessão. A partir desse momento o Harry deixa de ter função de spare, mas teria sempre o seu lugar na família real como membro ativo e teria funções e havia onde lhe arranjar um certo número de honrarias e tudo isso que lhe fizesse uma vida cheia. Mas ele não quis, preferiu sair pela porta baixa.

O que acha dessa de decisão do príncipe Harry?
Fez mal, mas sobretudo é uma certa traição, porque as pessoas lá não declinam. Que é como aquela história que dizia o secretário do João Paulo II, não se desce a cruz, a pessoa vai até ao fim nas piores condições, e a monarquia é assim, é para toda a vida. Tem todos os privilégios e as regalias, mas também é o preço da liberdade e da obrigação. São sistemas diferentes, que muita gente acha anacrónicos mas que funcionam com milhares de anos. Acho que o Harry vai voltar para um certo anonimato, ou então faz franchising de ser duque, mesmo sem ser a alteza real, e os filhos já são príncipes, também não são altezas reais, mas são netos de rei. Agora o Harry fica um bocadinho de lado, mas contra a vontade do pai. E na coroação não vai para a varanda.

Na varanda só vão estar os membros trabalhadores - e o príncipe Harry já não é o membro trabalhador da família real.
Mas o Carlos foi tão claro com isso, e a rainha Isabel II também o ajudou tanto a definir este critério de família real reduzida, que é o que estão todos a fazer. 

Conheceu a princesa Diana?
Conheci, mas assim, sim, a cumprimentei-a uma vez, sim, uma coisa muito formal, muito, digamos, metódica. Foi uma coisa muito rápida, numa apresentação de cumprimentos, mas a Kate não e o William também não. 

Camilla Parker Bowles e Princesa Diana em 1980 (PA Images via Getty Images)

Como é que acha que ela veria isto tudo? Seja a subida da Camilla ao trono, seja a relação do Harry agora com o irmão estar completamente destruída: como é que acha que se veria isto tudo agora? 
Mal, porque ela em princípio tentou fazer uma coisa diferente. Se bem que também tenha tido muitas culpas no cartório e, no fundo, ela vitimizou-se sempre muito, mas manipulou o que pôde. Conseguiu, digamos, pôr uma parte da imprensa a seu favor e há uma coisa que no fundo foi espetacular, no mau sentido, que foi a morte dela e o funeral dela. Ela, realmente, não era uma santa. Mas agora Diana veria mal porque pensou sempre nos filhos, mas teria com certeza muita felicidade em ver o William bem casado, com aqueles filhos lindos e com a Kate e tudo isso, acho que teria gostado. Mas para quem acredita: se ela está lá em cima a ver, estará satisfeita. Agora, claro, com a Camilla não estará, mas a culpa da Camilla acho sempre que foi do Lord Mountbatten, porque o Lord Mountbatten, que no fundo era o grande mentor, era o avô que o rei Carlos não teve, disse logo do princípio que a Camilla não porque tinha um passado, e além disso não tinha uma genealogia suficientemente importante para ser rainha de Inglaterra. Foi um engano porque passados todos têm. 

Falando do protocolo. A ida de monarcas de outros países vai acontecer: porquê? É por não haver uma coração em Inglaterra há muito tempo? 
Não, é por vontade. Sabe que isto é um clube muito fechado e, no fundo, o rei Carlos acaba por ser o primeiro deles todos: não se trata da idade, da antiguidade, o problema é que é o único que é ungido, portanto tem essa ligação especial com Deus. Há uma unção com os olhos divinos antes da coração e mais nenhum monarca da Europa é ungido. E, no fundo, são todos parentes dele e ele gosta de ter os primos à volta. Eu até acho que ele ainda vai convidar o Juan Carlos e a Sofia de Espanha. Ainda por cima, esses são primos dos dois lados. Vai ser uma cerimónia muito bonita, com certeza, com muito menos gente, porque também não estão, financeiramente e socialmente, num bom momento, mas acho que vão todos fazer uma pinha à volta do novo rei e da rainha. Eu acho que vai correr bem. Claro, terá menos gente, não é?

Serão cerca de 2 mil convidados, mas mesmo assim a cerimónia vai custar, segundo contas da imprensa britânica, cerca de 100 milhões de euros. Isso não vai gerar muita polémica?
Não, porque vai haver a parte em merchandising, em gente que vem de propósito do estrangeiro e da própria Inglaterra, o que gera dinheiro na economia de Londres e na economia inglesa... E depois todo aquele prestígio que eles fazem tão bem - e toda a gente os copia porque eles são realmente ótimos, como se viu com a rainha Isabel. Eles, na alegria e na tristeza, sabem manter toda a dignidade. Agora, Carlos vai tirar o essencial das últimas coroações e tentar modernizar um pouco. Vamos ver que coroas é que irá o príncipe William, que é príncipe de Gales mas nunca foi coroado, como o pai foi muito mais tarde, por aquela mãe fez aquela cerimónia em Gales, toda desenhada pelo cunhado, o Armstrong Jones, o marido da princesa Margarida, mas ele não foi nunca, não sei que coroas é que irá usar.

Carlos III coroado príncipe de Gales em 1969 (Arquivo)

Então há a possibilidade de William também usar uma coroa na criação?
Pois há - aliás, todos os nobres usam os coronets e até as princesas. Por exemplo, quando foi o Jorge VI, estava a rainha Isabel e a irmã com coroas e a Margarida já tinha inveja porque a coroa da irmã era maior. Claro, era a herdeira.

O que é que significa cada coisa que o Carlos leva vestido?
Porque é tradição, quer dizer, há um momento em que ele é vestido com o manto. O manto faz parte, eu não sei que manto. Agora, para isto há uma coisa que não sei, ele usará um manto com o cronograma dele, penso eu. Mas vão estragar o manto da rainha, da mãe, para poder bordar as coisas dele, não sei.

Para finalizar, qual é a importância da abadia do Westminster para a família real?
É toda, toda. É o seio, tudo acontece ali.

Continue a ler esta notícia

Mais Vistos