Perfil de José Luís Carneiro: autarca em Baião, ministro em Lisboa e candidato à liderança do PS - TVI

Perfil de José Luís Carneiro: autarca em Baião, ministro em Lisboa e candidato à liderança do PS

  • Agência Lusa
  • MJC
  • 11 nov 2023, 19:24
José Luís Carneiro apresenta candidatura à liderança do PS (Lusa/Paulo Novais)

Politicamente associado à ala moderada ou de centro no PS, José Luís Carneiro foi o primeiro a posicionar-se na corrida à liderança do partido

Relacionados

José Luís Carneiro, ministro da Administração Interna, que apresentou este sábado a candidatura à liderança do PS, tem 52 anos, foi deputado e presidente da Câmara de Baião, distrito do Porto, e é associado à ala moderada do partido.

Natural de Baião, onde foi presidente do município dez anos, de 2005 a 2015 (depois de ter sido vereador), José Luís Pereira Carneiro é licenciado em Relações Internacionais, com um mestrado em Estudos Africanos, e foi secretário de Estado das Comunidades no primeiro Governo de António Costa, de 2015 a 2019.

A sua experiência governamental começou, como adjunto, no gabinete de Carlos Zorrinho, secretário de Estado Adjunto do ministro da Administração Interna, entre 1999 e 2000, no executivo de António Guterres.

Deputado durante várias legislaturas, José Luís Carneiro foi presidente da Associação Nacional de Autarcas Socialistas, de 2014 a 2015, e liderou a Federação Distrital do Porto do PS, de 2012 a 2016.

Ainda no PS, foi secretário-geral adjunto do partido, entre 2019 e 2022, já com António Costa na liderança dos socialistas.

Politicamente associado à ala moderada ou de centro no PS, votou contra a morte medicamente assistida, quando era deputado, em 2021.

Com a vitória do partido nas legislativas de 2022, com maioria absoluta, António Costa escolheu-o para ministro da Administração Interna, pasta com o dossiê dos incêndios, e que tratou da anunciada extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e a reestruturação do controlo de fronteiras e sua transformação na Agência para a Integração, Migrações e Asilo (AIMA).

José Luís Carneiro foi o primeiro a posicionar-se na corrida à liderança do PS, depois da demissão do primeiro-ministro, António Costa, na terça-feira, na sequência de um caso judicial que o envolve com negócios de lítio em Boticas e Montalegre, hidrogénio e um centro de dados em Sines. O processo levou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a convocar eleições antecipadas para 10 de março de 2024.

A candidatura do ex-ministro e atual deputado socialista Pedro Nuno Santos será formalizada na segunda-feira, em Lisboa.

As eleições diretas para a sucessão de António Costa no PS estão marcadas para 15 e 16 de dezembro – em simultâneo com a eleição de delegados – e o congresso está previsto para 6 e 7 de janeiro.

Continue a ler esta notícia

Relacionados