Oito jotas entram, bebem, debatem e zangam-se num bar: PCP, BE, PS, Livre, PAN, PSD, IL, Chega - TVI

Oito jotas entram, bebem, debatem e zangam-se num bar: PCP, BE, PS, Livre, PAN, PSD, IL, Chega

Dois jotas entram num bar

Projeto da CNN Portugal juntou jovens dos oitos partidos com assento parlamentar - que debateram em bares e restaurantes da cidade de Lisboa

São jovens e não se gramam. Uns já são deputados, outros ambicionam ser. Têm entre 22 e 35 anos e defendem com garra os seus ideais políticos. 

Num cenário inusitado, cada dois líderes/representantes das juventudes partidárias entram num bar e protagonizam debates animados regados a cerveja e vinho. O ambiente descontraído transformou-se em diferentes quadros: desde momentos de camaradagem, comparáveis a um brinde entre amigos, até debates mais intensos que lembram um verdadeiro combate de boxe entre rivais.

Descubra como estes oito jovens dão vida à política para além dos corredores parlamentares, dos comícios ou das campanhas.

Rita Matias e Fabian Figueiredo zangam-se num bar: "máfia", "ameaças a mulheres" e "porcarias de 300 páginas"

Fabian Figueiredo (à esquerda) e Rita Matias (à direita)

Este debate foi o mais difícil de preparar, o mais atrasado a começar e o mais tenso. De um lado, Rita Matias, 25 anos, líder da Juventude Chega. Do outro, Fabian Figueiredo, 35 anos, representante do Bloco de Esquerda. 

O Chega topou logo o debate, mas os bloquistas só depois de 10 dias de mensagens, um email formal e quatro telefonemas deram luz verde. Ao fim de 40 minutos de debate a corda quebrou em torno do tema da identidade de género. Até lá a conversa-confronto foi tensa, com interrupções permanentes, os debatentes mal trocaram olhares.

Este confronto opôs duas pessoas de convicções tão fortes e tão antagónicas. Temas como a crise da habitação, imigração e impostos foram postos em cima da mesa. Rita criticou “as palas do Bloco na especulação imobiliária” e Fabian censurou “a política do Chega, que é o melhor aliado da máfia”.

SAIBA MAIS AQUI

"Os bons exemplos de comunismo acabam em morte, fome e miséria." Resposta: "O teu bom exemplo de liberalismo é uma bimby política"

Inês Rodrigues (à esquerda) e Gonçalo Cordeiro (à direita) (FOTO: Joana Moser)

O local deste debate traçou o tom: um ringue de box no primeiro andar do restaurante mexicano. O debate entre Gonçalo Cordeiro, 30 anos, assessor parlamentar da Iniciativa Liberal (IL) e Inês Rodrigues, 22 anos, membro da direção nacional da Juventude Comunista Portuguesa (JCP), foi um verdadeiro combate retórico. 

Este confronto teve cinco rondas. Desde de socos aos ideais políticos um do outro. Gonçalo chegou a pedir a Inês “um exemplo de um regime comunista que tenha funcionado”. Inês acusou o liberalismo de ser “uma bimby política”. Mas o combate não ficou por aí: foram discutidos impostos, salários, saúde e eutanásia. 

SAIBA MAIS AQUI

Dois jotas entram num bar, um pede cerveja e o outro vinho. Depois, bem, depois: debate rasgadinho

Miguel Costa Matos (à esquerda) e Alexandre Poço (à direita) (FOTO: Joana Moser)

Miguel Costa Matos, 29 anos, secretário-geral da Juventude Socialista (JS) e Alexandre Poço, 31 anos, presidente da Juventude Social Democrata (JSD) juntam-se num bar em Lisboa para um debate aceso, como de costume. Os deputados já estão habituados a debater um contra o outro. Aliás, têm uma “ótima relação”. 

Uma conversa sobre aquilo que mais afeta os jovens, desde a crise da habitação, aos impostos, até à corrupção. Este último é um tema sensível, não fossem PS e PSD os partidos com mais casos de arguidos por corrupção. 

Não é só a corrupção que os une, pois não são dois líderes quaisquer: são os mais antigos e estão a um ano de terminar o mandato. Alexandre frisa: “Isto não é uma cambada de carreiristas, nem de tachistas, como há essa impressão”. 

SAIBA MAIS AQUI

"É muito mais aquilo que nos une do que aquilo que nos separa". Dois jovens do PAN e do Livre juntam-se num bar

Rodrigo Andrade (à esquerda) e Tomás Cardoso Pereira (à direita) (FOTO: Joana Moser)

Rodrigo Andrade, 24 anos, representante do PAN, e Tomás Cardoso Pereira, 30 anos, do Livre, juntam-se num speakeasy para um brinde ao combate às alterações climáticas, entre outros temas nos quais convergem. Contrariamente aos restantes debates, esta conversa foi amigável, sem nunca se atropelarem. Das poucas vezes que se interromperam, não hesitaram num pedido de desculpas. Admitem que se respeitam mutuamente e reconhecem mérito nos partidos ali representados.

SAIBA MAIS AQUI
 

Continue a ler esta notícia