Kimchi: a couve fermentada que melhora o colesterol, aumenta a imunidade e tem propriedades anti-inflamatórias - TVI

Kimchi: a couve fermentada que melhora o colesterol, aumenta a imunidade e tem propriedades anti-inflamatórias

  • CNN Portugal
  • DCT
  • 8 abr, 12:00
Kimchi (Pexels)

Faz parte da alimentação coreana e tem as hortaliças como protagonistas. Um novo estudo vem revelar que o kimchi é um aliado da boa saúde

A importância dos alimentos fermentados para a saúde intestinal não é uma novidade, mas há uma iguaria asiática que começa a ganhar mais destaque pela vasta oferta de benefícios para a saúde: o kimchi.

Segundo uma recente revisão científica, publicada online na revista Journal of Ethnic Foods, o kimchi é um “alimento medicinal” porque apresenta benefícios a vários níveis.. “Previne a aterosclerose e o dano hepático causado pelo colesterol alto, melhora os parâmetros metabólicos gerais, a glicemia e o colesterol em jejum, melhora as deficiências cognitivas, aumenta a imunidade e protege contra a dermatite atópica”, diz a investigação.

Esta revisão, que teve por base a análise de 11 ensaios clínicos eleitos aleatoriamente e que incluiam 608 participantes, aponta ainda benefícios associados ao combate do cancro. “Descobriu-se que o kimchi tem propriedades anti-inflamatórias, melhora a caquexia [enfraquecimento geral das funções vitais] causada pelo cancro, induz a apoptose [morte celular programada, importante no combate ao cancro] e previne o cancro do cólon”, lê-se no estudo.

A fermentação do kimchi (que pode envolver hortaliças, algas ou outros vegetais) envolve numerosos microrganismos, em particular de bactérias de ácido láctico, que tem propriedades probióticas, sendo, por isso, também um alimento importante para cuidar da microbiota intestinal.

O kimchi, que pode ser consumido como acompanhamento de uma proteína, por exemplo, é ainda uma fonte de vitaminas e minerais, sendo rico em vitamina A, vitamina C, vitamina K, folato, potássio e cálcio, segundo o site WebMD.

O consumo de alimentos fermentados, como o kimchi, pode ainda ajudar a reduzir o stress, como explica John Cryan, vice-presidente do Centro de Pesquisa e Inovação da University College Cork ao site The Conversation.

Apesar de a revisão científica coreana ter apontado a falta de ensaios adequados, a evidência atual aponta para os “efeitos positivos” do kimchi e “esta revisão descobriu que as intervenções do kimchi podem ser uma opção segura e eficaz para o tratamento da saúde geral, obesidade e síndrome do intestino irritável”, embora as suas propriedades variem consoante os ingredientes usados (e adicionados, no caso dos kimchi já embalados e à venda em grandes superfícies) e não seja claro na investigação qual a quantidade e a frequência de consumo adequada.

Continue a ler esta notícia