Nova espécie de lagarto recebe nome de antigo vocalista dos Iron Maiden - TVI

Nova espécie de lagarto recebe nome de antigo vocalista dos Iron Maiden

  • Agência Lusa
  • MJC
  • 9 fev, 19:12
Enyalioides dickinsoni (DR)

Segundo o Serviço Nacional de Áreas Naturais Protegidas pelo Estado (Sernamp), a equipa homenageou a multidisciplinaridade do músico, que além de vocalista é também conhecido como esgrimista, piloto de aviões, empresário cervejeiro e historiador, entre outras atividades

Um grupo internacional de cientistas descobriu uma nova espécie de lagarto na Amazónia peruana, que batizou de “Enyalioides dickinsoni”, em homenagem a Bruce Dickinson, lendário vocalista da banda britânica de “heavy metal” Iron Maiden.

Segundo o Serviço Nacional de Áreas Naturais Protegidas pelo Estado (Sernamp), a equipa homenageou a multidisciplinaridade do músico, que além de vocalista é também conhecido como esgrimista, piloto de aviões, empresário cervejeiro e historiador, entre outras atividades.

O "Enyalioides dickinsoni" foi descoberto juntamente com outra espécie de lagarto, "Enyalioides cyanocephalus", e ambos habitam as florestas húmidas montanhosas da Cordilheira de Colán, no departamento do Amazonas, segundo um comunicado do Sernamp.

As duas espécies foram descobertas no âmbito de um estudo de investigação feito por especialistas da “Rainforest Partnership” (organização ambientalista norte-americana), do Instituto Peruano de Herpetologia e do Museu de Zoologia da Faculdade de Ciências Biológicas da Pontifícia Universidade Católica do Equador, com o apoio de pessoal do Sernanp, organismo dependente do Ministério do Ambiente.

A "Enyalioides cyanocephalus", conhecido como lagarto-de-cabeça-azul, destaca-se pela cabeça azulada de alguns machos adultos, embora dos exemplares registados pelos investigadores apenas dois machos adultos possuíssem a cabeça azulada característica.

Os machos desta espécie são vulgarmente conhecidos pela população local da Cordilheira de Colán como camaleão-de-cabeça-azul.

A área de distribuição das duas novas espécies está limitada ao leste e ao norte dos rios Marañón e Utcubamba, respetivamente, segundo o estudo dos investigadores.

Continue a ler esta notícia