Matou a mulher durante um safari para ficar com o seguro de vida e a amante. O milionário foi agora condenado a prisão perpétua - TVI

Matou a mulher durante um safari para ficar com o seguro de vida e a amante. O milionário foi agora condenado a prisão perpétua

  • CNN Portugal
  • PF
  • 22 ago 2023, 12:17
Lawrence e Bianca Rudolph (Facebook)

Durante o julgamento, os procuradores federais acusaram Lawrence de ter matado a mulher por motivos financeiros e de ter um caso com outra mulher, Lori Milliron, já condenada em junho a 17 anos de prisão por ter conspirado com Rudolph no assassinato

Um dentista de 68 anos foi esta segunda-feira condenado a pena de prisão perpétua por ter matado a sua mulher durante um safari na Zâmbia em 2016.

Simultaneamente, Lawrence Rudolph, milionário, irá cumprir outra pena, de 20 anos de cadeia, por ter defraudado uma seguradora em cinco milhões de euros ao reclamar o seguro de vida da mulher, para além de ser obrigado a devolver o dinheiro e pagar uma multa de 1,8 milhões de euros.

Segundo o The New York Times, que cita o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, Lawrence e a mulher, Bianca, de 56 anos, viajaram até ao Parque Nacional Kafue, no sul do país africano, onde Bianca esperava caçar um leopardo.

Na manhã do dia 11 outubro de 2016, os guias do parque ouviram um disparo proveniente da cabana dos Rudolph e dirigiram-se de imediato para o local. Lá encontraram Bianca, morta com um tiro de caçadeira diretamente no coração.

Lawrence afirmou que a mulher terá disparado acidentalmente a arma enquanto a tentava guardar. No entanto, a autópsia concluiu que Bianca Rudolph foi alvejada a uma distância de pouco mais de dois metros, sendo “extremamente improvável” que o tiro fosse autoinfligido.

Durante o julgamento, diz o jornal americano, os procuradores federais acusaram Lawrence de ter matado a mulher por motivos financeiros e de ter um caso com outra mulher, Lori Milliron, já condenada em junho a 17 anos de prisão por ter conspirado com Rudolph no assassinato.

Lawrence sempre defendeu a sua inocência. “Eu não alvejei a minha mulher. Eu não assassinei a minha mulher pelo dinheiro do seguro, nem para estar com a Lori Milliron ou outra qualquer mulher”, disse durante o julgamento, em 2022.

“Este resultado mostra que não importa quanto dinheiro, prestígio ou poder a pessoa tenha, ela será responsabilizada pelos seus crimes. Não é nenhum acidente que se tenha feito justiça hoje”, disse o procurador do Estado do Colorado, Cole Finnegan, citado pelo The New York Times.

A defesa de Lawrence Rudolph vai recorrer da decisão, uma que vez que considera não haver provas suficientes de que o seu cliente matou a mulher. “As provas simplesmente não são suficientes; esqueçam até as dúvidas razoáveis, simplesmente não havia nenhuma prova real de que ele fez isso”, argumentou o advogado de defesa David O. Markus.

Continue a ler esta notícia