Liga das Nações feminina: Portugal-Áustria, 1-2 (crónica) - TVI

Liga das Nações feminina: Portugal-Áustria, 1-2 (crónica)

A «história», afinal, repetiu-se

Relacionados

Francisco Neto tinha pedido uma «história diferente» para este segundo embate com a Áustria, agora na Póvoa de Varzim, mas o resultado repetiu-se, Portugal voltou a perder por 2-1 e viu comprometida a aspiração de chegar ao segundo lugar que permitiria a continuidade na elite da Liga das Nações. Um resultado inglório com os três golos a surgirem, de rajada, num espaço de cinco minutos, com saldo favorável para as austríacas.

Confira o FILME DO JOGO

Tal como na Áustria, Portugal controlou boa parte do jogo, consentiu o primeiro golo no seu melhor momento, reagiu rápido para chegar ao empate, mas deitou tudo a perder no minuto seguinte, no momento mais frenético deste jogo.

O selecionador recuou Fátima Pinto para o eixo defensivo, para colmatar a ausência da lesionada Ana Seiça, e reconstruiu o meio-campo com as entradas de Andreia Norton e da capitã Dolores Silva. A Áustria, com o mesmo onze que venceu o primeiro jogo, procurou fixar o seu jogo junto à área portuguesa nos instantes iniciais, mas rapidamente teve de recuar nas suas intenções, com as navegadoras a conseguirem libertar-se das amarras e a saírem a jogar pelos corredores.

Num jogo debaixo de chuva, Portugal conseguiu fazer uma boa circulação de bola, obrigando as austríacas a correr, para depois abrirem o jogo para as alas, onde Jéssica Silva e Kika Nazareth atacavam a profundidade. Neste capítulo, Jéssica trava um duelo intenso com Georgieva, defesa da Fiorentina, ao longo de toda a primeira parte, conseguindo passar muitas vezes pela adversária direta.

A Áustria teve de recuar para ter bola, mas a verdade é que chegava rapidamente à frente, com Dunst e, principalmente, Feiersinger sempre disponíveis para subir pelas alas. Numa dessas transições, aos 15 minutos, Zadrazil destacou-se sobre a direita e rematou à trave. Uma grande oportunidade para a Áustria que mereceu resposta imediata das portuguesas com Diana Silva a destacar-se na área, mas a ser desarmada por Naschenweng no momento do remate.

Portugal foi crescendo no jogo, Jéssica Silva teve uma oportunidade para abrir o marcador e, já perto do intervalo, entrou em drible na área e, rodeada por muitas adversárias, conseguiu soltar a bola para o remate de primeira de Dolores Silva, com a bola a roçar no topo da barra. O intervalo chegava ainda sem golos, mas com uma demonstração clara que Portugal tinha argumentos para conseguir vencer esta Áustria.

Três golos em cinco minutos

A segunda parte começou por confirmar isso mesmo, com Portugal a circular muito bem a bola e a jogar cada vez mais próximo da baliza de Zinsberger, guarda-redes do Arsenal que foi um dos destaques deste jogo. Portugal estava claramente por cima do jogo, mas, logo depois de Francisco Netos ter promovido as primeiras alterações, foi a Áustria que chegou ao golo, ao minuto 72, com Viktoria Pinther, que tinha acabado de entrar, a receber uma bola à entrada da área, a rodar e a bater Patrícia Morais com um remate rasteiro.

Portugal reagiu muito bem e, três minutos depois, chegou ao empate, também pelo corredor central, com Kika Nazareth a lançar Ana Capeta e a avançada do Sporting a contornar Zinsberger, que calculou mal o tempo de saída, e a atirar para as redes vazias. Uma boa reação de Portugal anulada de imediato pela Áustria, que recuperou a vantagem, logo no minuto seguinte, num descida vertiginosa de Campbell pela corredor esquerdo que acabou com a bola novamente nas redes de Patrícia Morais. Um segundo balde de água fria para Portugal.

Francisco Neto ainda arriscou nos últimos instantes da partida, com Portugal a subir em bloco para a área austríaca à procura de um empate que permitiria a Portugal a continuar a lutar pelo segundo lugar. Tatiana Pinto ainda teve uma oportunidade, num lance aparatoso em que acabou por chocar com Zinsberger e, mesmo a fechar o jogo, Carolina Mendes também teve uma oportunidade para o empate que acabou por não chegar.

Com esta nova derrota, Portugal segue no terceiro lugar, agora a quatro pontos da Áustria e com apenas dois jogos pela frente. Recordamos que o segundo lugar permite a continuidade no principal escalão da Liga das Nações, enquanto o terceiro obriga à disputa de um play-off. O próximo jogo será, a 1 de dezembro, na Noruega, última classificada do grupo, com dois pontos, após o empate frente à líder França (0-0).

Continue a ler esta notícia

Relacionados