Amorim: «Não fico muito preocupado porque não temos falhado muito» - TVI

Amorim: «Não fico muito preocupado porque não temos falhado muito»

Sporting-Young Boys, 1-1 (reportagem)

Relacionados

Ruben Amorim, treinador do Sporting, em conferência de imprensa, depois do empate diante dos suíços do Young Boys (1-1), no jogo que confirmou a qualificação dos leões para os oitavos de final da Liga Europa:

Ficou mais satisfeito com as muitas oportunidades criadas ou mais preocupado pelas oportunidades desperdiçadas a poucos dias de defrontar o Rio Ave (Liga) e o Benfica (Taça de Portugal)?

- Não fico preocupado com os jogadores falharem porque não temos falhado muito. Não vamos fazer do jogo o que tem sido a época. Às vezes é uma parte, um golo. Temos um sentimento de frustração porque devíamos ter ganho o jogo, devíamos ter mais uma vitória na Europa. Não tenho muito a apontar aos jogadores, não houve um baixar de nível, um baixar de oportunidades. Isso não aconteceu, acho que fomos superiores nas duas mãos, mas acho que isso ficou mais claro neste segundo jogo.

Gyokeres desperdiçou um penálti, mas os adeptos, logo a seguir, cantaram o nome dele. Satisfeito com esta empatia entre os adeptos e os jogadores?

- É um excelente sinal, também porque gostam muito dele, vêm a equipa a esforçar-se. Sente-se a ligação entre adeptos e jogadores.

Fresneda voltou a jogar. É importante ter mais uma opção nesta altura da época?

- Acima de tudo, é importante para ele voltar a sentir o que é jogar. Ele precisa de treino, está numa fase difícil para isso porque já há algum tempo não treinamos como equipa. Estão uns a treinar, outros a recuperar, não há tempo para mais. Para quem esteve tanto tempo sem treinar, é difícil para eles, mas com este final de época, vamos precisar de todos os jogadores.

Como viu a prestação Diomande depois de voltar da CAN 2023?

- Muito bem. As sensações que tivemos no treino, tivemos também no jogo. O central que joga no meio é o que tem menos deslocamentos. Os problemas que eles tiveram foi em duelos e duelos é o que ele quer e gosta. Está pronto para ajudar a equipa.

Eduardo Quaresma voltou a ter muita liberdade no transporte da bola. São instruções do treinador ou é uma iniciativa do jogador?

- É algo que já tínhamos no jogo, o Matheus Reis sempre fez isso, o Inácio também. As únicas indicações são se ninguém sai na bola, nós saímos a jogar. A verdade é que o Quaresma tem um grande talento para transportar a bola. Hoje houve uma ou outra vez que exagerou, mas prefiro que eles exagerem. As indicações são do treinador, mas isto é também muito dos jogadores.

Continue a ler esta notícia

Relacionados

EM DESTAQUE