Famalicão-Arouca, 1-0 (crónica) - TVI

Famalicão-Arouca, 1-0 (crónica)

  • Nuno Dantas
  • Estádio Municipal de Famalicão
  • 22 set 2023, 22:20
Famalicão-Arouca (JOSÉ COELHO/LUSA)

Vitória da eficácia num jogo com dois penáltis falhados e três cartões vermelhos

Relacionados

Jogo de loucos em Famalicão! A formação minhota conquistou os três pontos numa partida em que o Arouca falhou duas grandes penalidades, atirou uma bola ao ferro e jogou em superioridade numérica durante cerca de 20 minutos.

Os famalicenses tiveram mais bola, na primeira parte, e marcaram na única ocasião de golo, pelo defesa central Otávio. Os arouquenses reagiram na segunda e, depois de atirar uma bola ao poste, viram Sylla falhar dois penáltis consecutivos.

Triunfo importante do Famalicão que sobe, provisoriamente, ao 5.º lugar, ficando a apenas um ponto do Benfica. O encontro contou com um marco histórico: João Pedro Sousa ultrapassou Daniel Ramos, agora ao serviço do Arouca - acabou expulso no final da partida -, como treinador com mais jogos na história do clube.

Poucas mexidas

João Pedro Sousa fez apenas duas alterações no onze em relação ao empate no recinto do Rio Ave. Saltaram do onze Liimatta e Topic e entraram Lacoux e Chiquinho. Daniel Ramos, apesar do desaire caseiro frente ao Casa Pia, só mudou uma peça no xadrez arouquense, Weverson Costa por Tiago Esgaio – jogador que viria a lesionar-se em cima do intervalo.

A formação minhota entrou melhor e dominou quase toda a primeira metade. À maior posse de bola do adversário, o Arouca respondia com um futebol mais direto e com mais ocasiões de golo. Mujica foi um perigo à solta no ataque arouquense e foi dos pés dele que saiu a primeira ocasião de perigo, mas o remate frontal saiu ao lado. Pouco depois, após um remate de ressaca, o esférico sobrou para Mujica que rematou para grande defesa de Luiz Júnior.

O Famalicão acabou por ser eficaz e chegou ao golo à passagem da meia hora. Canto apontado na direita por Francisco Moura e Otávio, nas alturas, a cabecear para o primeiro do encontro. A reação do Arouca foi imediata, valendo uma vez mais Luiz Júnior. Cristo Gonzalez apareceu em boa posição na área e viu o guardião brasileiro, com uma palmada, negar o empate.

Reatamento frenético

O início da segunda metade foi de loucos. Os lobos arouquenses entraram cheios de fome de golo e ficaram perto de marcar cinco minutos após o reatamento. Após canto, Rafael Fernandes cabeceou para grande defesa de Luiz Júnior e, na recarga, Galovic acertou no poste. Pouco depois, Trezza caiu na área e ficou a reclamar grande penalidade. Bruno Vieira mandou seguir, mas, depois de alertado pelo VAR, acabou por assinalar o castigo máximo.

Chamado à conversão, Sylla rematou muito denunciado e permitiu a defesa de Luiz Júnior. Contudo, uma vez mais alertado pelo vídeo-árbitro, Bruno Vieira mandou repetir o penálti por violação da área. Sylla voltou para a marca dos onze metros e… voltou a falhar! Bola na trave e mais uma oportunidade desperdiçada. Tudo corria mal aos arouquenses, contudo as coisas iriam piorar ainda mais.

Em vantagem numérica, o Arouca podia continuar a carregar sobre os minhotos em busca da igualdade. No entanto, num momento infeliz, Rafa Mujica, que até tinha sido dos melhores arouquenses, pisou propositadamente Chiquinho e, uma vez mais alertado pelo VAR, o árbitro expulsou o espanhol.

Até ao final, os famalicenses tentaram gerir o encontro e fecharam a sete chaves a baliza. O Arouca, que viu Daniel Ramos ser expulso perto do fim, tentou com muito coração e com pouca cabeça, acabando por ir para casa sem qualquer ponto conquistado.

Continue a ler esta notícia

Relacionados