Estrela-Rio Ave, 2-2 (crónica) - TVI

Estrela-Rio Ave, 2-2 (crónica)

O ‘rei dos empates’ foi à Reboleira…. empatar

Numa tarde de céu azul e muito calor, o Estrela e o Rio Ave encontraram-se no Estádio José Gomes em busca de pontos cruciais para a manutenção na I Liga.

O Estrela entrou em campo numa situação mais precária que o adversário, com apenas mais um ponto que o Portimonense, que está no lugar do playoff de despromoção.

Mas o Rio Ave também não podia vir passear. Apesar de estar melhor em termos de posição na tabela, via-se apenas com mais três pontos que a linha de água e a história podia mudar num piscar de olhos. Mas de notar que o Rio Ave era (até ao apito final) a melhor defesa da segunda volta, com apenas sete golos sofridos, uma derrota, oito empates e duas vitórias.

Apito inicial e a equipa da Amadora entrou melhor (bastante melhor!)! Encostou o Rio Ave às cordas e obrigou mesmo os vilacondenses a simular uma lesão caricata antes dos 10 minutos, de modo a permitir que Luis Freire desse nas orelhas dos jogadores.

Todos pensavam que o Estrela ia chegar primeiro ao golo, era algo inevitável sentiam os adeptos! André Luiz brilhava, com arrancadas e passes a rasgar e a equipa da casa teve várias oportunidades para marcar, com os adeptos dos tricolores a aplaudir sempre que o brasileiro tocava na bola... parece que sentiam a força do jovem de 22 anos.

Mas a história do jogo mudou! Aderllan Santos pareceu não gostar da dominância do Estrela e de cabeça, na sequência de um canto, colocou a bola no fundo das redes. Mas atenção! O defesa de 35 anos foi herói na frente e atrás, com uma quantidade vistosa de situações de perigo que evitou à frente da baliza do Rio Ave.

O Rio Ave podia mesmo ter passado para a frente do marcador uns momentos mais cedo, através de um livre de Vroussai, mas Bruno Brigido evitou o desaire com uma defesa incrível. 

Confira o FILME DO JOGO

Intervalo na Reboleira e puxões de orelhas para ambas as equipas. No balneário da equipa visitante Luis Freire pediu mais à equipa… que deu mais, mas não o suficiente. No outro balneário, Sérgio Vieira pediu concentração à equipa e pontaria.

As equipas voltaram ao relvado e a história manteve-se com o Estrela por cima do encontro. André Luiz volta a aparecer e a espalhar magia. No lado do Rio Ave entra Boateng para o lugar de Fábio Ronaldo, que até ao momento pouco tinha feito, e ainda tenta ajudar a equipa, mas a bola não lhe chega.

No segundo tempo só deu Estrela e lá conseguiram encontrar a estrela cadente que tanto precisavam. Bem perto dos 90 minutos, com os adeptos da casa a roerem as unhas de nervosismo, o número 29, Kikas, apareceu no meio dos defesas do Rio Ave e marcou o golo que poderia ter garantido os três pontos valiosos à equipa da Amadora.

Mas o jogo só acaba quando o árbitro apita... e desta vez ia demorar, porque foram 11 os minutos de compensação. Aos 90+9, quando já se ouvia gritar vitória, apareceu Vrousai! O grego viu a jogada brilhante de Aziz Yakubu, que completamente sozinho fintou o guarda-redes, não se fez ao penálti e serviu o avançado do Rio Ave, que só teve de encostar.

Domingo triste para os estrelistas, que tiveram a manutenção na mão, mas nos minutos finais cederam o empate e têm dois pontos de distância para o lugar de playoff. O Rio Ave volta a empatar, já são sete nos últimos oito jogos e continua a dar juz ao título de 'rei dos empates'.

Continue a ler esta notícia