Conceição: «Roçámos a perfeição, mas houve situações em que não estivemos tão bem» - TVI

Conceição: «Roçámos a perfeição, mas houve situações em que não estivemos tão bem»

FC Porto-Benfica, 5-0 (reportagem)

Relacionados

Declarações do treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, na sala de imprensa do Estádio do Dragão, após a vitória por 5-0 ante o Benfica, em jogo da 24.ª jornada da I Liga:

[Se foi a noite perfeita:] «Queria um jogo com compromisso, concentração, foco. Sem termos muito tempo para preparar este jogo, por isso é que tivemos treino esta manhã, para preparar algumas situações, inclusive bolas paradas. Isto é mérito dos jogadores, disputaram na perfeição, dentro dos diferentes momentos do jogo o que tínhamos a fazer. Com bola e sem bola, penso que roçámos a perfeição. Foi um jogo muitíssimo bom. Parabéns aos jogadores e ao público. Tivemos uma noite de entusiasmo, paixão e é de louvar.»

[Se foi a atenção ao detalhe que fez a maior diferença no jogo:] «Acho que hoje todas as equipas, já disse várias vezes – equipas profissionais - estão bem apetrechadas de um staff grande, que analisa o adversário, que trabalha muito e bem. Depois, é nos pequenos detalhes que essa diferença aparece. E os jogadores estarem completamente comprometidos com a mensagem, com o trabalho, com o pormenor. Roçámos a perfeição, mas houve uma ou outra situação em que não estivemos tão bem. Acontece em todos os jogos. Mas isso também tem a ver com a qualidade do adversário e nós preparamos determinada estratégia e o adversário também se adapta. E depois começa a haver situações mais difíceis de controlar. Mas vamos controlando porque temos o intervalo para retificar uma ou outra situação, mas hoje não foi necessário, porque estavam muitíssimo bem na primeira parte, continuámos na segunda. Vitória justa, assente nesses pormenores importantes.»

[Instruções de Vítor Bruno para dentro de campo:] «Há instruções que são dadas, mas durante o jogo, com 50 mil pessoas, passar esse tipo de informação, eles já sabem o que têm de fazer e sabem que era importante os nossos médios mostrarem-se na nossa primeira fase e muitas vezes a pressão do Rafa e do Tengstedt na frente não é muito agressiva e nós encontrávamos saída, não digo fácil, mas com alguma facilidade e depois, a partir desse momento, essa primeira ligação encontrava o Pepê e o Nico e acelerávamos para cima da linha defensiva adversária. Com certeza que estaria a passar uma mensagem válida no trabalho que é feito.»

Continue a ler esta notícia

Relacionados

EM DESTAQUE