CA considera que atuação do VAR no lance entre Mangala e Conceição foi «excessiva» - TVI

CA considera que atuação do VAR no lance entre Mangala e Conceição foi «excessiva»

António Nobre no Estoril-FC Porto (ANTÓNIO COTRIM/Lusa)

Vice-presidente do Conselho de Arbitragem entende que lance entre Mangala e Francisco Conceição é «complexo». Quanto à visita do Estoril à Luz, João Ferreira entende que ficou por assinalar penálti sobre Marcos Leonardo

Relacionados

O lance que mais discórdia gerou aquando da visita do FC Porto ao Estoril (1-0), na jornada 27 da Liga, ainda dá que falar. Esta segunda-feira, João Ferreira, vice-presidente do Conselho de Arbitragem, analisou o lance em que Francisco Conceição reclama penálti de Mangala.

Na Sport tv foram divulgados os áudios da comunicação entre o árbitro António Nobre e o vídeoábitro Tiago Martins.

VAR - Sugiro que venhas à zona de revisão para o cancelamento do penálti. Anda para trás. O defesa vai sempre na mesma direção. E o atacante vai e choca com ele. O defesa não faz nada para derrubar o atacante.

Árbitro - Então o gajo não o derruba, Tiago? Olha aqui nas costas.

VAR - António, a decisão é tua.

Árbitro - Sim, sim. Tens outro ângulo? Vamos ver outro ângulo.

VAR - Se reparares nas pernas, até é o atacante que choca.

Árbitro - A perna esquerda.

VAR - O atacante é que toca.

Árbitro – Ok.

VAR - E não há braço. Não há nenhum agarrão.

Árbitro - Não há infração, nem simulação. Vai ser bola ao solo.

Para o vice-presidente do Conselho de Arbitragem, o «lance é complexo», mas a intervenção de Tiago Martins foi «excessiva».

«O VAR é para erros óbvios. Este não nos parece ser um erro óbvio. A intervenção do VAR foi excessiva. A junção dos dois contactos suporta uma decisão tomada em campo. A melhor decisão seria não marcar penálti. Mas, a partir do momento em que assinala penálti, tem de haver elementos que suportem essa decisão. Os factos são muito ténues para haver uma intervenção», referiu João Ferreira.

 

Lance entre de Mangala sobre Marcos Leonardo, no Estádio da Luz

O defesa central do Estoril esteve envolvido noutra análise neste programa, a propósito de um lance com Marcos Leonardo, aquando da visita do Estoril ao Benfica (3-1), na 25.ª jornada.

A comunicação foi feita entre o árbitro Manuel Oliveira e o VAR Luís Ferreira.

VAR - Manuel, daqui VAR, peço-te que venhas à zona de revisão para analisar um possível penálti.

Árbitro - Um possível penálti? Diz lá, Luís.

VAR - O jogador do Estoril a tentar defender a bola acerta no avançado de sola.

Árbitro - Ele chuta, mas é ele que lhe dá. Isto para mim não é penálti. Até é ele que vira a chuteira.

VAR - Tu é que sabes, Manuel. Ele vai de pé feito.

Árbitro - Para mim, tudo normal. Mete mais um bocadinho para trás. O Mangala, é o 22, não é? Para mim isto é um choque normal.

Para João Ferreira, «o jogador do Estoril vai de pé em riste, não joga a bola». Por isso, o vice-presidente do Conselho de Arbitragem entende que a decisão foi «errada», ficou por assinalar um penálti sobre Marcos Leonardo e Mangala escapou ao cartão amarelo.

 

Continue a ler esta notícia

Relacionados

Mais Vistos