Como vai ser a circulação em Lisboa durante a JMJ? Este é o plano da autarquia - TVI

Como vai ser a circulação em Lisboa durante a JMJ? Este é o plano da autarquia

  • CNN Portugal
  • Notícia atualizada às 21:15
  • 11 jul 2023, 19:25
Jornadas Mundiais da Juventude: construção da cúpula do altar palco no Parque Tejo-Trancão (Lusa/ José Sena Goulão)

A CNN Portugal teve acesso ao plano provisório de acessibilidades na cidade de Lisboa durante os dias da Jornada Mundial da Juventude. Haverá ruas com "restrição absoluta de circulação" e outras onde os residentes podem ir, desde que não seja de bicicleta ou trotinete alugada

Relacionados

O aguardado plano provisório de mobilidade para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) deverá ser apresentado "dentro de dias", muito provavelmente na próxima sexta-feira, anunciou o presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, reafirmando que a autarquia tem estado em contacto permanente com o Governo para acertar todos os detalhes. Mas se o plano de mobilidade é da responsabilidade do Governo, à Câmara coube definir o plano de acessibilidades na cidade: "Vamos ter dois momentos: um mais dentro da cidade, nos dias 1, 3 e 4, em que vamos ter de fechar algumas vias, sobretudo na Avenida da Liberdade, porque tudo se está a passar ali, no Parque Eduardo VII. Mas, depois, no fim de semana, a cidade fica com maior mobilidade, porque tudo se vai passar junto ao rio Tejo", revelou o autarca.

De facto, o plano provisório de acessibilidade em Lisboa durante a JMJ, a que a CNN Portugal teve acesso, prevê diferentes níveis de condicionamento em Lisboa: 

Dias 1, 3 e 4 de agosto

No dias 1, 3 e 4 de agosto (terça, quinta e sexta-feira) o trânsito estará completamente interrompido desde o Terreiro do Paço ao Parque Eduardo VII, abarcando a Avenida da Liberdade.

Zona Vermelha - com restrição absoluta de circulação - é definida pelas seguintes artérias:

  • Rua Castilho – Rua Joaquim António de Aguiar – Rua Marquês da Fronteira – Av. António Augusto de Aguiar – Av. Fontes Pereira de Melo
  • Praça Marquês Pombal (rotunda interna) – Av. Liberdade (vias centrais) – Praça dos Restauradores
  • Praça D. Pedro IV (Rossio) – Rua da Betesga - Rua da Prata - Rua da Alfandega - Campo das Cebolas - Av. Infante D. Henrique
  • Praça do Comércio - Av. Ribeira das Naus - Largo do Corpo Santo - Rua do Arsenal - Praça do Município - Largo de S. Julião - Rua Nova do Almada - Rua do Carmo – Rua 1.º de Dezembro - (Rossio).

Nesses dias, haverá ainda restrições à circulação rodoviária na zona em volta destas artérias principais. Os eixos rodoviários que definem a Zona Amarela nestes dias são:

  • Cais do Sodré – Rua do Alecrim – Rua da Misericórdia – Rua São Pedro de Alcântara
  • Rua D. Pedro V – Praça Príncipe Real – Rua da Escola Politécnica – Largo do Rato - Rua D. João V - Rua Joshua Benoliel – Rua Carlos Alberto da Mota Pinto – Rua Conselheiro Fernando de Sousa – Rua Marquês da Fronteira – Av. Miguel Torga – Rua de Campolide
  • Av. Calouste Gulbenkian – Praça de Espanha – Avenida de Berna – Avenida da República – Rua Casal Ribeiro
  • Largo Dona Estefânia – Rua Dona Estefânia – Rua Gomes Freire – Rua Conselheiro Arantes Pedroso – Rua de São Lázaro
  • Martim Moniz – Rua dos Cavaleiros – Calçada de Santo André – Calçada da Graça – Jardim da Graça – Largo da Graça – Rua Voz do Operário - Arco da Grande de Cima – Campo de Santa Clara – Santa Apolónia.

 

Nesta Zona Amarela, estará, no entanto, garantida a circulação a:

  • Residentes;
  • Trabalhadores com declaração da entidade patronal;
  • Cargas/Descargas das 24:00 às 07:00 (com exceção de medicamentos urgentes, carrinhas de valores, segurança privada, outras devidamente validadas no local pela PSP);
  • Das 07:00 às 10:00 para transportes abaixo das 3,5T;
  •  Avenças de parques de estacionamento públicos;
  • TVDE/ Tuk-tuks;  Transportes públicos (táxis, CARRIS e TML).

Atenção: bicicletas de aluguer (incluindo GIRA) e trotinetes de aluguer não poderão circular para e no interior do perímetro da Zona Amarela.

Na Zona Verde, que tem um perímetro ainda mais alargado, será possível a circulação sem qualquer tipo de controlo. No entanto, por motivos de congestionamento e circulação pedonal mais intensa, em determinados períodos do dia, poderá haver cortes pontuais devido à presença de determinados eventos associados à JMJ 2023 e à circulação de tráfego pedonal, o perímetro estará condicionado.

Para o dia 2 de agosto não estão previstas restrições à circulação em Lisboa.

Dias 5 e 6 de agosto

Nos dias 5 e 6 de agosto (sábado e domingo), as restrições incidirão sobre a zona junto ao Parque Tejo/Trancão.

O perímetro da Zona Vermelha, com restrição absoluta de circulação, será definido pelas seguintes vias:

  • Do Passeio do Tejo para norte e da Rua Príncipe do Mónaco para norte;
  • Passeio dos Heróis do Mar, a partir das anteriores (para norte);
  • Via do Oriente;
  • Rua do Prof. Picard, Rua Chen He, Rua do Reno, Rua do Sena, Rua do Tamisa, Rua do Tibre, Rua do Volga, Rua do Danúbio, Rua do Oder, Rua do Ebro e Rua Capitão Cook;
  • Rua Roald Amundsen e Praça Gago Coutinho;
  • Rua da Cotovia/ Passeio do Trancão;
  • Itinerário Complementar n.º 2 (IC2).

O perímetro da Zona Amarela (com as mesmas condições atrás enunciadas) será definido pelas seguintes vias:

  • Avenida de Berlim – Rua Contra-Almirante Armando Ferraz – Avenida Dr. Francisco Luís Gomes – Praça José Queiroz – Avenida Dr. Alfredo Bensaúde - Rua Padre Joaquim Aguiar – Estrada da Circunvalação.

Há, ainda, um perímetro mais alargado (Zona Verde) onde poderá haver condicionamento ao trânsito.

Dia 6 de agosto

No dia 6 de agosto, está prevista uma atividade com o Papa junto ao rio mas em Algés, sendo esta, portanto, a zona mais afetada. 

  • Zona Vermelha: Passeio Marítimo de Algés.
  • Zona Amarela: Avenida de de Brasília – Avenida Dr. Alfredo Magalhães Ramalho – Doca de Pedrouços.

Entretanto, numa nota enviada à Lusa, fonte da Câmara Municipal de Lisboa explica que estes constrangimentos não vão afetar moradores, comerciantes, trabalhadores, peregrinos e turistas, ressalvando que a circulação pedonal estará sempre assegurada. “Os mesmos condicionamentos garantem a circulação de veículos de emergência, transporte de medicamentos, transporte de pessoas com mobilidade reduzida, acesso a assistência médica mesmo nos momentos em que os eventos acontecem”, refere a autarquia.

A Câmara de Lisboa explica que este plano foi desenvolvido em conjunto com a PSP e que as medidas estabelecidas “garantem que a cidade e os seus operadores económicos não vão parar”. “Exemplo disso é a criação de duas janelas horárias para o abastecimento de todos os estabelecimentos, quer em horário noturno (das 00:00 às 07:00), quer na manhã dos eventos, em que o abastecimento poderá acontecer entre as 07:00 e as 10:00. Fora do horário dos eventos principais, acima referidos, o acesso automóvel a moradores e trabalhadores não será afetado”, indica a nota.

Nas breves declarações à imprensa, esta terça-feira, Carlos Moedas mostrou-se optimista no que toca aos preparativos para a JMJ: "Estamos preparados", garantiu. "Temos estado a falar com os comerciantes, com os restaurantes, com a nossa economia. Para mim é importante que todos os comércios estejam abertos nessa altura", explicou. 

"Do que vimos noutras jornadas, as pessoas ficam mais dias, se ficarem sete ou oito dias e gastarem 30 ou 40 euros, estamos a falar de 300 ou 400 euros
a multiplicar por um milhão de pessoas. É para a cidade um impacto absolutamente único e extraordinário", previu. 

Continue a ler esta notícia

Relacionados