O prédio de 10 andares onde deflagrou o incêndio quinta-feira em Lisboa, que terá começado numa zona de cabos elétricos, não tem condições de habitabilidade porque está sem eletricidade, disse à agência Lusa fonte da proteção civil municipal.

A diretora do Serviço Municipal de Proteção Civil da Câmara Municipal de Lisboa (CML) precisou que não existem condições de habitabilidade porque o edifício está sem energia elétrica, desconhecendo-se as condições das infraestruturas de gás e água.

“Serão inspecionadas pelas entidades competentes (EDP, Lisboa Gás e EPAL) as infraestruturas de energia, gás e água com vista à sua reparação e religação”, disse Margarida Castro Martins.

A responsável adiantou que, durante uma vistoria ao edifício, não foram verificados danos estruturais, pelo que o condomínio deverá agora efetuar as obras necessárias à reposição da normalidade.

“Não foram visitadas habitações, à exceção de uma que se encontrava aberta, no entanto, não são conhecidos quaisquer danos para além do fumo e água”, referiu, acrescentando que todo o edifício "foi "liberto" para que condomínio proceda às reparações necessárias.

Os desalojados estão a ser acompanhados e têm alternativas habitacionais em casa de familiares.

Três dos feridos mantêm prognóstico reservado

Os três feridos muito graves que deram entrada na quinta-feira no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, na sequência do incêndio, mantém prognóstico reservado e estão ventilados, disse fonte hospitalar à agência Lusa.

“A situação mantém-se sem alteração, os três feridos mantêm-se nos cuidados intensivos, com prognóstico reservado e ventilados, não há alteração ao estado de saúde”, disse a fonte.

Oito feridos deram entrada no Hospital de Santa Maria, três dos quais adultos que receberam tratamento na câmara hiperbárica, segundo adiantou fonte hospitalar, indicando ainda que uma criança tinha também passado pela câmara hiperbárica, mas que se encontrava estável. Em causa, precisou, está a inalação de monóxido de carbono.

"Os outros feridos são ligeiros, mas mantêm-se internados", disse.

Já fonte do Hospital de São José indicou na quinta-feira que a unidade recebeu cinco feridos ligeiros, que entretanto tiveram alta. A responsável precisou que foram assistidas no local 18 pessoas e que 14 foram transportadas para os hospitais de São José e Santa Maria.

O incêndio deflagrou às 02:15 de quinta-feira no número 108 da Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, na freguesia de São Domingos de Benfica, num edifício misto: de escritórios até ao 5.º andar e de habitação do 6.º ao 10.º, onde residem 21 pessoas.

/ AM