Um dos sítios mais "espetaculares" (mas desconhecidos de África) guarda antigas receitas portuguesas de chouriço - TVI

Um dos sítios mais "espetaculares" (mas desconhecidos de África) guarda antigas receitas portuguesas de chouriço

  • CNN
  • Claudia Ramos
  • 2 dez 2023, 19:00
Lubango

O Lubango, esse mistério que aqui desvendamos para quem ainda não o visitou

Lubango. O espetacular destino africano de que provavelmente nunca ouviu falar

por Claudia Ramos, CNN

nota do editor: as séries da CNN Travel são frequentemente patrocinadas pelos países e regiões que descrevemos. No entanto, a CNN mantém o controlo editorial total sobre todas as suas reportagens - leia as nossas regras


No canto inferior esquerdo de África, mesmo antes de a paisagem dar lugar ao terreno árido da Namíbia, situa-se uma região verde e temperada que pode ser uma das mais belas do continente - e, no entanto, poucas pessoas além daquelas desta parte do mundo a conhecem.

O Lubango, na província da Huíla, no sudoeste de Angola, é a segunda maior cidade do país em termos de população, é rica em história e cultura e situa-se num planalto íngreme que dá origem a paisagens espectaculares.

Situada a 1.760 metros acima do nível do mar, é uma das cidades mais frescas de Angola - as temperaturas variam entre 8 e 31 graus Celsius, o que permite o cultivo de plantas difíceis de cultivar no resto do país.

Anteriormente conhecido como Sá da Bandeira, o Lubango foi um importante local de povoamento a partir de 1885 para os portugueses coloniais, que chegaram da ilha da Madeira vindos de Portugal e viram as potencialidades do clima.

Atualmente, a região é rica em agricultura e pecuária - uma abundância que pode ser vista na variedade de alimentos oferecidos -, incluindo queijos locais e antigas receitas portuguesas de chouriço.

O Lubango é considerado uma das cidades mais importantes de Angola, graças ao seu estatuto de centro de viagens, com excelentes ligações a outras províncias por estrada e caminho de ferro, além de um aeroporto internacional com voos para Luanda, outras partes do país e para a capital da Namíbia, Windhoek.

Os visitantes encontram uma riqueza histórica e uma arquitetura colonial em estilo art déco. É também um local incomparável para conviver com uma grande variedade de grupos étnicos, incluindo membros do povo local Mumuíla e muitas outras comunidades nómadas que visitam a cidade para fazer comércio ou passam por ela a caminho de outros locais.

Ao contrário de muitos lugares em África, esta é uma região onde grupos multiétnicos coabitam pacificamente e são visíveis dentro da cidade.

A maior parte deles são povos nómadas, leais e orgulhosos das suas raízes e modos de vida tradicionais, diferenciados por roupas coloridas distintas, jóias e penteados únicos e simbólicos.

"O desfile das diversas etnias no Lubango é uma experiência rica", diz Florinda Ramos, uma empresária que visita regularmente a região. "Este é um sítio mágico."

"O desfile das diversas etnias no Lubango é uma experiência rica", diz Florinda Ramos, uma empresária que visita regularmente a região. "Este é um sítio mágico".

Rosemaire Luís, uma engenheira ambiental de Luanda, capital de Angola, que esteve recentemente no Lubango em trabalho, também está impressionada. "O Lubango é um excelente local para o turismo de descoberta. É seguro e diversificado em termos de paisagem e de locais de interesse, tanto construídos como naturais. Gostei muito dos mercados populares dentro e fora da cidade, das montanhas e dos locais remotos onde a geologia é exuberante e fascinante."

Aqui estão seis dos melhores lugares para visitar no Lubango e arredores:

Fenda da Tundavala

Uma das principais maravilhas de Angola, a Tundavala, é um desfiladeiro de cortar a respiração, a pouco mais de 16 quilómetros a noroeste do Lubango, atravessando a fronteira com a província vizinha do Namibe.

Aqui, as zonas frescas do planalto da Huíla, de maior altitude, caem por cima de um penhasco de paredes íngremes para as planícies mais quentes abaixo.

A Tundavala é considerada pelos habitantes locais um local onde as almas dos seus antepassados se refugiam - e é fácil perceber porquê.

As vistas panorâmicas a partir desta fissura vulcânica são impressionantes. Os visitantes também são recompensados com a bela flora, incluindo orquídeas, que crescem entre as fendas rochosas.

Aqui está-se acima das nuvens. O ar é limpo e, se tiver sorte, pode ver águias e macacos-das-rochas.

Os habitantes locais visitam-na para fugir à cidade, especialmente aos fins-de-semana, para fazer piqueniques ou simplesmente para beber uma cerveja, descontrair com os amigos e apreciar o pôr do sol.

É também um local popular para fotografias de casamento.

Uma visita a Tundavala pode ser uma oportunidade para encontrar a população local Mumuíla, que também vem regularmente contemplar este lugar cénico.

Serra da Leba

A cerca de 50 quilómetros a oeste do centro da cidade do Lubango, a estrada chega à Serra da Leba com picos que atingem cerca de 2.650 metros. Mas o mais espetacular aqui não são as montanhas, é a estrada.

Construída em 1970 pela antiga administração colonial para ligar o Lubango à província do Namibe, a estrada é uma das mais belas do país, se não do continente, e é um dos pontos turísticos mais famosos de Angola.

Ao aproximar-se da Serra da Leba, a estrada sai do planalto da Huíla e desce 1.600 metros nos cerca de 20 quilómetros seguintes. Isto é feito através de uma série de curvas vertiginosas - 56 no total - que rivalizam com qualquer coisa nos Alpes europeus.

Esta maravilha cénica da engenharia é melhor vista a partir das montanhas que a rodeiam.

Os viajantes que se dirigem para mais longe ao longo da estrada são, por volta da marca dos 160 quilómetros, recompensados com mais vistas de cortar a respiração à medida que a paisagem verde se transforma nas areias áridas do Namibe, um dos desertos mais antigos do mundo e lar do povo Mucubal.

Mercado municipal de Lubango

O mercado municipal do Lubango é um pequeno edifício colonial situado na zona comercial do centro da cidade.

Rodeado por uma azáfama de pequenas lojas e com um mercado semiaberto no meio, vale a pena visitá-lo pelo ambiente, bem como pelos produtos e pela observação das pessoas.

À venda está uma variedade de produtos, desde alimentos frescos da época a flores de corte, maioritariamente cultivados e vendidos por mulheres. Há cestos feitos à mão com diferentes materiais naturais secos e uma gama diversificada de ervas medicinais. É um ótimo local para comprar mel local puro.

Arquitetura do centro da cidade

A história turbulenta de Angola deixou a sua marca arquitetónica no Lubango, com uma mistura de estilos contrastantes, tanto históricos como novos, criando uma paisagem urbana dinâmica que alberga cafés e restaurantes.

Há vestígios de séculos de domínio colonial português e alguns edifícios impressionantes do século passado.

A Art Déco pode ser vista em vários locais, incluindo a imponente e moderna catedral gótica de São José, construída em 1939. Vale a pena uma visita para ver o impressionante teto abobadado que se curva sobre a sua congregação.

Existem também numerosos edifícios comerciais Art Déco, com exemplos particularmente épicos, incluindo a estação de correios dos CTT e o Cine Odeon.

Estes contrastam com a nova arte africana que se expressa em murais coloridos nas muralhas da cidade.

Estátua do Cristo Rei

De braços abertos em direção ao horizonte, a estátua do Cristo Rei é uma das primeiras coisas que muitas pessoas veem quando chegam ao Lubango.

À semelhança das gigantescas estátuas de Cristo que se erguem sobre o Rio de Janeiro e Lisboa, este edifício de mármore branco está situado no alto da cidade, no topo da Serra da Chela, com 2.130 metros.

O monumento, com 30 metros de altura, foi construído em 1957 segundo o projeto do engenheiro português Madeira Frazão Sardinha.

Classificado como Património Mundial de Angola em abril de 2014, este local, a poucos minutos de carro do centro, é o lugar perfeito para ver todo o Lubango e compreender o burburinho e o alcance da cidade lá em baixo.

Museu Regional da Huíla

A história da cidade do Lubango ganha vida nesta coleção bem preservada que foi inaugurada na década de 1950.

A exposição permanente está organizada em salas temáticas que dão a conhecer hábitos, costumes, crenças e tradições das comunidades do sul de Angola.

Os visitantes podem ver ornamentos, têxteis, cerâmicas e outras peças relacionadas com a agricultura, a pesca, a caça e a espiritualidade.

Continue a ler esta notícia