Manifestação pelos direitos dos animais acaba com 118 detidos em Inglaterra - TVI

Manifestação pelos direitos dos animais acaba com 118 detidos em Inglaterra

  • Agência Lusa
  • PP
  • 16 abr 2023, 14:28
Cavalo

Dezenas de manifestantes do grupo Animal Rising tentaram invadir o hipódromo de Aintree, em Liverpool, antes de um grande evento

A polícia britânica anunciou este domingo que deve este sábado 118 pessoas junto ao hipódromo de Aintree, em Liverpool, no noroeste da Inglaterra, onde ativistas dos direitos dos animais atrasaram a partida da famosa pista de obstáculos Grand National.

Dezenas de manifestantes do grupo Animal Rising tentaram invadir, na noite de sábado, o hipódromo para chegar à pista e perturbar o evento, mas, segundo um comunicado da polícia de Merseyside, a maioria foi impedida de fazê-lo, apesar de ter atrasado em 15 minutos o início da corrida.

No total, referiu a polícia, 118 pessoas foram detidas, por suspeitas do crime de “perturbação pública”.

Segundo o grupo Animal Rising, pelo menos, dois manifestantes conseguiram-se prender a um obstaculo da pista com o objetivo claro de evitar a morte de cavalos de corrida, comum nesta disciplina.

Um cavalo, Hill Sixteen, morreu após uma queda no primeiro obstáculo que lhe causou ferimentos impossíveis de serem tratados. Esta é a terceira morte de um cavalo nesta edição do evento, neste fim de semana.

“Seja para alimentação ou recreação, a utilização de animais e da natureza simboliza uma relação que está mais do que quebrada”, declarou Sarah McCaffrey, uma estudante que participou na manifestação, citou um comunicado da Animal Rising.

“Nós precisamos de encontrar maneiras de amar os animais que não os magoem”, acrescentou.

A corrida foi vencida pelo cavalo Corach Rambler, treinado por Lucinda Russel e montado pelo jóquei Derek Fox.

Em 1993, a Grand National foi invadida por ativistas e duas largadas falsas levaram à anulação do resultado da corrida.

Continue a ler esta notícia