Email que Marcelo admite ter apagado (e que alertava para alegada interferência do filho) pode ser recuperado - mas só "pelas forças policiais" - TVI

Email que Marcelo admite ter apagado (e que alertava para alegada interferência do filho) pode ser recuperado - mas só "pelas forças policiais"

Marcelo nas comemorações do Dia da Restauração da Independência (ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA)

"É possível recuperar emails apagados, a menos que sejam pessoas profissionais a apagar essas coisas." Durante a declaração-surpresa que fez ao país sobre o caso das gémeas luso-brasileiras, o Presidente afirmou que não se lembra de ter recebido um email de um médico do Hospital de Santa Maria em que era mencionada a alegada interferência de Nuno Rebelo de Sousa, filho de Marcelo, neste caso

Relacionados

O caso que envolve o Presidente da República começou com um email trocado com o filho, no qual Nuno Rebelo de Sousa escreve ao pai sobre a situação das gémeas luso-brasileiras. Esse email, datado de 21 de outubro de 2019, foi encontrado agora nos servidores, segundo o próprio Marcelo. Mas há emails que o diretor de neuropediatria do Hospital de Santa Maria, Levy Gomes, disse ter trocado com Marcelo a propósito deste caso das gémeas, troca essa que Levy Gomes revelou na TVI (do mesmo grupo da CNN Portugal). Nesses emails o Presidente é alertado para uma alegada interferência de Nuno Rebelo de Sousa, filho de Marcelo, no caso das gémeas. Ora, o Presidente da República disse esta segunda-feira que não se lembra desse email - mas não nega que exista e admite até que o pode ter apagado. "Não guardo todos os meios", justificou.

"Eu estou a dizer que houve um médico, o Dr. Levy Gomes, que pôs na comunicação social que me tinha enviado um e-mail. Eu li isso agora. Não me lembrava, mas em que ele teria dito 'consta que houve uma cunha, uma supercunha, uma pretensão' e eu teria respondido, porque ele tem o meu e-mail… Eu não tenho memória, tenho milhares de e-mails de há quatro anos e não guardo todos os meios. Eu teria respondido que não havia privilégio nenhum para ninguém e, por maioria de razão, para o filho do Presidente. E realmente não houve. Da minha parte não houve", justificou ontem o Presidente.

Ora, mesmo que Marcelo o tenha apagado, esse email pode ser recuperado caso as autoridades entendam que é necessário para clarificar a investigação. "Genericamente, é possível recuperar esses emails apagados, a menos que sejam pessoas profissionais a apagar essas coisas. Portanto, sim. Normalmente é possível", diz à CNN Portugal José Tribolet, professor catedrático do Departamento de Engenharia Informática do Instituto Superior Técnico, acrescentando que "é muito difícil apagar essas coisas definitivamente".

Segundo o especialista, "normalmente as forças policiais que fazem esse tipo de trabalho nesta área informática conseguem recuperar quase tudo". "E muitas vezes vão pedir às empresas que operam os serviços de email - desde que tenham autorização judicial - e consegue recuperar-se quase tudo."

Alertando que o cidadão comum não deve tentar fazer este tipo de recuperação, José Tribolet explica que, "quando se apagam estas coisas no computador, na realidade normalmente não se está mesmo a apagar - está só a apagar-se o caminho para chegar a esse ficheiro".

"Por isso, isso é relativamente fácil de recuperar. Para apagar mesmo as coisas num disco é preciso fazer operações de limpeza do disco mais complexas do que aquilo que normalmente se faz. Por isso, a resposta é que normalmente é possível recuperar", garante, lembrando que, "para se conseguir recuperar essas coisas, é preciso ter autorizações judiciais - ou então é hacking ilegal super-sofisticado".

Marcelo diz que recebia emails "esotéricos" de Levy Gomes

Citado pelo Público, e depois de questionado sobre o motivo que levou à troca de emails com Levy Gomes, Marcelo garantiu há dias que se limitou a responder ao email vindo do médico do hospital de Santa Maria porque é “bem-educado”. O Presidente disse ainda ao Público que os emails que recebe do neuropediatra “são muitos” e “sobre os temas mais esotéricos”.

Ora, segundo explica José Tribolet, mesmo que os emails tenham sido apagados na caixa de email, quando são enviados ou apagados isso só acontece de forma local porque, a partir do momento em que é enviado, "já passou e está em muitos sítios". 

"Se o e-mail que está a escrever é na sua aplicação, no seu computador, e ainda não enviou, isso aí é possível apagar localmente de uma forma definitiva, claro. Mas se já enviou, ele já passou por muitos sítios e está em muitos sítios. Na empresa que está a operar o sistema de email e nos seus servidores ficaram lá registos. Em geral, consegue recuperar-se." 

Continue a ler esta notícia

Relacionados