O chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou esta sexta-feira que as relações luso-brasileiras com o Presidente eleito do Brasil, Lula da Silva, que tomará posse no domingo, "estão a começar muito bem".

Em declarações aos jornalistas, num hotel de Brasília, onde chegou esta sexta-feira para representar o Estado português na posse de Lula da Silva, Marcelo Rebelo de Sousa não quis, contudo, criticar o mandato do Presidente brasileiro cessante Jair Bolsonaro nem comentar a sua ida para os Estados Unidos da América.

Questionado se sente que se respira um novo ar na capital brasileira, respondeu: "No Brasil respiro sempre um ar familiar".

Interrogado sobre o que poderá melhorar nas relações bilaterais com o próximo Presidente do Brasil, Marcelo Rebelo de Sousa destacou a recente visita de Lula da Silva a Portugal, entre 18 e 19 de novembro: "Acho que se reatou uma boa tradição, que era o Presidente eleito brasileiro na primeira deslocação ao estrangeiro passar por Portugal".

Lula da Silva passou por Portugal depois de ter participado na 27.ª Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP27), no Egito, e Marcelo Rebelo de Sousa recebeu-o no Palácio de Belém, em Lisboa, durante uma hora e quinze minutos, no dia 19 de novembro. A seguir, o Presidente eleito do Brasil foi recebido pelo primeiro-ministro português, António Costa.

Marcelo Rebelo de Sousa irá reunir-se com Lula da Silva em Brasília na segunda-feira, dia seguinte à posse, e anunciou que o Presidente do Brasil irá a Portugal de 22 a 25 de Abril para uma visita de Estado, a seu convite, e uma cimeira entre os governos português e brasileiro.

A visita "culmina na participação na cerimónia do 25 de Abril" e nessa ocasião deverá também ser feita "finalmente a entrega" do Prémio Camões "há muito tempo para ser entregue a três premiados ao longo dos últimos anos", um dos quais é o cantor brasileiro Chico Buarque, acrescentou.

"Portanto, está a começar muito bem", considerou o Presidente português.

/ DCT