A Marinha portuguesa acompanhou a passagem de dois navios russos, que têm estado a atravessar águas perto de Portugal nos últimos dias.

Um dos navios é a fragata Admiral Gorshkov, que tem capacidade para lançamento de mísseis Zircon, projéteis hipersónicos com capacidade de alcançar alvos a mais de mil quilómetros.

“O NRP Bartolomeu Dias, em colaboração com países aliados e da NATO, esteve acompanhar a passagem de uma fragata de origem russa por Portugal, desde o dia 12 de janeiro até esta semana”, informa nota da Marinha, que dá conta de que a fragata teve uma deslocação a oeste da ilha das Flores, no arquipélago dos Açores, até cerca de 1.300 quilómetros.

Já o NRP Sines, em missão na Zona Marítima de Algés, acompanhou o navio reabastecedor Kama entre os dias 19 e 20 de janeiro.

“A Marinha Portuguesa mantém uma vigilância ativa das áreas de interesse nacional, através do seu Centro de Operações Marítimas, assegurando uma prontidão adequada dos navios com o objetivo de promover e proteger os interesses de Portugal no e através do mar”, acrescenta o comunicado.

A fragata Admiral Gorshkov saiu no início do ano do porto de Severomorsk, que tem caminho livre para o Oceano Ártico, e foi imediatamente rastreada pela Noruega, que colocou a guarda costeira a acompanhar as movimentações. A rota oficial indicava que a fragata se dirigia até ao mar Mediterrâneo e ao Oceano Índico para participar em manobras navais, mas as autoridades russas não adiantaram mais detalhes.

Este é já a segunda vez que Portugal comunica o acompanhamento de navios de bandeira russa este ano, depois de o navio científico da Federação Russa, o Akademik Aleksandr Karpinskiy, ter passado ao largo da costa.

António Guimarães