Equipa Balnear de Matosinhos salvou mais de 40 banhistas nos últimos 15 dias - TVI

Equipa Balnear de Matosinhos salvou mais de 40 banhistas nos últimos 15 dias

  • Agência Lusa
  • PF
  • 19 abr 2023, 20:01
Autoridades levam a cabo operações de busca por vítimas de naufrágio (Lusa)

“Não devem ir ao mar porque, apesar de estar sol e calor, o mar é de inverno”, alertou vereadora da Proteção Civil, Marta Laranja Pontes

A equipa do Sistema de Salvamento Balnear de Matosinhos, no distrito do Porto, resgatou do mar mais de 40 banhistas nos últimos 15 dias, revelou esta quarta-feira a vereadora da Proteção Civil da Câmara Municipal de Matosinhos.

Durante a reunião pública do executivo municipal, que se realizou em Leça da Palmeira, Marta Laranja Pontes referiu que os mais de 40 salvamentos aconteceram na praia de Matosinhos, a mais frequentada do concelho pelos banhistas, apesar de a época balnear ainda não ter arrancado em Portugal.

“Não devem ir ao mar porque, apesar de estar sol e calor, o mar é de inverno”, alertou.

De recordar que a 6 de abril, um rapaz de 17 anos morreu afogado na praia de Matosinhos e outros seis foram resgatados por esta equipa de salvamento balnear.

Depois de questionada por uma pessoa que assistia à reunião sobre o porquê de não alargar este serviço a todas as praias do concelho, a vereadora da Proteção Civil esclareceu que a equipa de salvamento balnear não está circunscrita a uma única praia, mas aos 16 quilómetros de costa.

Apesar de se concentrar nas praias de Matosinhos e Leça da Palmeira, as mais frequentadas, a equipa de salvamento percorre e vigia todas as outras, acrescentou.

Marta Laranja Pontes recordou que o Sistema de Salvamento Balnear de Matosinhos funciona durante todo o ano, e não apenas durante a época balnear, desde 2008.

A equipa é composta por oito nadadores salvadores, duas moto 4, uma moto de água para intervenção rápida e duas `pickup´ adaptadas para salvamento balnear, especificou.

A vereadora frisou que este serviço, em colaboração com a Autoridade Marítima, procura garantir melhores condições de segurança nas praias do concelho, nomeadamente naquelas onde existe a presença habitual de surfistas e onde não existe vigilância regular.

A breve prazo, um dos objetivos passa por estender este serviço ao rio Leça, aproveitando o conhecimento já adquirido da equipa, revelou.

Já na sua página oficial, a Câmara Municipal de Matosinhos publicou uma mensagem sobre como detetar um agueiro, reforçando que os mesmos são “poderosos e por vezes difíceis de detetar”.

Continue a ler esta notícia