Joias, pedras preciosas e até faqueiros valiosos. A polícia italiana não para de fazer descobertas relacionadas com Matteo Denaro, até ao início desta semana o homem mais procurado do país, e que esteve 30 anos fugido.

Desta vez foi encontrado um segundo esconderijo daquele que é conhecido como o “último padrinho”, e que era uma das figuras mais importantes da máfia siciliana.

Apenas a 300 metros da casa onde vivia, e onde estavam milhares de documentos que podem ajudar a resolver mistérios de décadas na máfia italiana, foi encontrado outro abrigo. Na pacata cidade de Campobello di Mazara, onde vivem pouco mais de 10 mil pessoas, Matteo Denaro escondia um autêntico tesouro, além de outras coisas. Quando a polícia chegou, deparou-se com várias caixas de documentos vazias, o que sugere que alguém pode ter limpado o local de eventuais provas já depois da detenção.

Tudo isto estava num apartamento de rés-do-chão com 60 metros quadrados que foi descrito como “confortável”. Lá foram também encontrados perfumes luxuosos, mobiliário caro ou roupas de estilista. No meio de todos os itens saltaram ainda à vista dois telemóveis e comprimidos Viagra. Sinais que, para as autoridades, indicam que o local tinha sido habitado recentemente.

A polícia chegou a esta localização através das chaves encontradas num dos bolsos de Matteo Denaro aquando da detenção do criminoso, apanhado à saída de uma clínica privada em Palermo, onde estaria a fazer quimioterapia para tratar um cancro no cólon que metastizou para o fígado.

Também ali perto, e num raio de 500 metros que envolve as três localizações, a polícia arrestou a casa da mãe de Andrea Benefede. Foi esse o nome dado por Matteo Denaro para a realização das sessões de quimioterapia realizadas nos últimos meses. Mas Andrea Benefede existe mesmo, e está em Campobello di Mazara. De resto, era ele o dono do esconderijo onde estava o mafioso. Agora está também a ser ouvido pelas autoridades, que já confirmaram que foi Matteo Denaro quem deu o dinheiro para a compra do apartamento - mais precisamente 20 mil euros - e que o italiano deu a sua identidade ao criminoso.

Depois de 30 anos com paradeiro desconhecido, e procurado pela autoria ou participação em dezenas de homicídios, Matteo Denaro acabou detido na região onde cresceu. Por a cidade ser pequena a polícia acredita que poderá ter havido conluio de alguns habitantes para manter o esconderijo, até porque o homem era a pessoa mais famosa da terra, depois de se ter juntado à Cosa Nostra e ter feito capas de jornais por crimes pelos quais acabou condenado a prisão perpétua num julgamento feito à revelia no início do século.

António Guimarães