Médico legista indica que são necessárias mais investigações sobre a morte do ator Matthew Perry - TVI

Médico legista indica que são necessárias mais investigações sobre a morte do ator Matthew Perry

  • CNN
  • Josh Campbell, Cheri Mossburg e Alli Rosenbloom
  • 30 out 2023, 06:32
Matthew Perry (1969-2023) (AP)

Matthew Perry, estrela de "Friends", morreu aos 54 anos

A causa da morte do ator Matthew Perry, que ocorreu na sua residência no sábado, vai requerer mais investigação por parte do Gabinete do Médico Legista do Condado de Los Angeles, nos EUA, antes de se chegar a uma conclusão, de acordo com os registos da agência.

O médico legista atualizou o registo online de Perry no domingo à tarde, indicando a sua causa de morte como "adiada" (pendente de investigação adicional).

"Nos casos em que a causa da morte não pode ser determinada no momento da autópsia, um certificado de adiamento será emitido até que estudos adicionais sejam concluídos", de acordo com as diretrizes do médico legista de Los Angeles.

A Divisão de Roubos e Homicídios do Departamento de Polícia de Los Angeles está a investigar a morte de Perry, mas uma fonte policial disse à CNN que não há suspeitas de crime. No domingo, os registos do médico legista indicaram que os restos mortais do ator estavam prontos para serem entregues aos seus familiares mais próximos.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros de Los Angeles, Brian Humphrey, disse à CNN que uma chamada para o 911 chegou no sábado às 16h07 para uma emergência de salvamento na água. A polícia de Los Angeles respondeu às 16h10 e, pouco depois, caracterizou a chamada como uma investigação de morte.

Perry, 54 anos, foi encontrado sem reação na sua banheira de hidromassagem, de acordo com o Los Angeles Times, citando fontes policiais.

Os pais de Perry, John Bennett Perry e Suzanne Morrison, juntamente com o seu padrasto, o correspondente de "Dateline" Keith Morrison, foram vistos a chegar a casa do ator no sábado à noite, no meio da resposta da polícia.

No domingo, a família de Perry divulgou uma declaração à revista People dizendo que estavam "com o coração partido pela trágica perda de nosso amado filho e irmão".

"Matthew trouxe tanta alegria ao mundo, tanto como ator como amigo", dizia a declaração. "Todos vocês significavam muito para ele e nós apreciamos a enorme manifestação de amor".

Um livro aberto

Perry foi sincero sobre as suas lutas.

Ele abriu-se sobre a sua recuperação do vício e a sua dedicação em ajudar os outros no seu livro de memórias, "Friends, Lovers, and the Big Terrible Thing: A Memoir", que ele lançou em novembro de 2022.

"A melhor coisa sobre mim, sem exceção, é que se alguém vier até mim e disser: 'Não consigo parar de beber, tu podes ajudar-me?' Posso dizer 'sim' e acompanhar e fazer isso", disse ele enquanto aparecia no podcast "Q With Tom Power" no ano passado para discutir seu livro.

Perry prosseguiu dizendo que queria ser lembrado "como alguém que viveu bem, amou bem, foi um explorador" e que "a principal coisa é que ele quer ajudar as pessoas".

"É isso que eu quero", disse ele.

Perry estava a lutar contra o vício no auge da sua carreira em "Friends" e disse durante a entrevista que, por causa disso, não conseguia ver o programa.

Jennifer Aniston, Lisa Kudrow, Courteney Cox, David Schwimmer e Matt LeBlanc co-protagonizaram ao lado de Perry em "Friends", que durou de 1994 a 2004.

Os atores ainda não comentaram a morte de Perry.

No domingo, os co-criadores de "Friends" Marta Kauffman e David Crane e o produtor executivo Kevin Bright divulgaram uma declaração à CNN, dizendo que estavam "chocados e profundamente, profundamente tristes com o falecimento do nosso querido amigo Matthew".

"Ainda parece impossível. Tudo o que podemos dizer é que nos sentimos abençoados por o termos tido como parte das nossas vidas", diz a declaração. "Ele era um talento brilhante. É um cliché dizer que um ator faz o seu próprio papel, mas no caso do Matthew, não há palavras mais verdadeiras. Desde o dia em que o ouvimos encarnar pela primeira vez o papel de Chandler Bing, não havia mais ninguém para nós".

A declaração acrescenta: "Iremos sempre apreciar a alegria, a luz, a inteligência ofuscante que ele trazia a cada momento - não apenas no seu trabalho, mas também na vida. Ele era sempre a pessoa mais divertida na sala. Mais do que isso, ele era o mais doce, com um coração generoso e altruísta... Este é verdadeiramente Aquele em que os nossos corações estão partidos".

Continue a ler esta notícia