Quando o treinador do Benfica entrou na sala de imprensa do centro de treinos do Seixal, para fazer a antevisão do jogo de Paços de Ferreira, o empréstimo de João Victor tinha acabado de ser oficializado pelo Nantes.

Minutos depois, Roger Schmidt justificou a saída do central brasileiro, que fez apenas três jogos de águia ao peito.

«O João... penso que é um pouco a história desta época. Sintetizando: teve uma situação difícil, e no final do mercado tínhamos três centrais de topo com lesões de longa duração (Lucas Veríssimo, Morato e João Victor). Infelizmente, lesionou-se no último jogo antes de assinar contrato com o Benfica, e a lesão foi mais complicada do que o que esperávamos no início, é por isso que tivemos de fazer algo no mercado. O Vertonghen saiu, o António Silva e o Nico [Otamendi] estavam aí para muitos jogos, foi por isso que tomámos a decisão de trazer John Brooks. Penso que nos preparámos caso algo acontecesse», começou por dizer o técnico.

«Ao fim de alguns meses, todos estão bem, em condições. Temos seis centrais de topo. Agora, temos de gerir a situação no mercado de inverno. O João Victor é um central de topo, acreditamos nele, mas neste momento a situação é que ele não tem jogos suficientes, e é por isso que ele teve a oportunidade de ir para outro lugar, por empréstimo, e jogar. Para ter tempo de jogo, e penso que é uma boa decisão, para ele e também para nós, para o futuro. Os jogadores têm de jogar, e um dia ele vai voltar ao Benfica e, aí, esperamos que jogue mais pelo Benfica, porque é um jogador muito bom», acrescentou.

Redação Maisfutebol