Prepare-se para a pausa no frio e o início das tempestades. O "rio atmosférico" vem das Caraíbas e chega esta quinta-feira a Portugal - TVI

Prepare-se para a pausa no frio e o início das tempestades. O "rio atmosférico" vem das Caraíbas e chega esta quinta-feira a Portugal

Proteção Civil já emitiu alertas e avisa para inundações, deslizamentos, infiltrações ou acidentes rodoviários

O estado do tempo vai mudar e é já esta quinta-feira. As temperaturas vão subir, mas com estes aumentos vêm também tempestades. As previsões apontam para precipitação intensa e persistente, sendo que a culpa é do "rio atmosférico" proveniente das Caraíbas e que vai atravessar Portugal.

Chuva intensa

A Proteção Civil já emitiu alertas e está a preparar-se para inundações, cheias, deslizamentos, infiltrações, lençóis de água, acidentes rodoviários ou obstáculos nas estradas. Até sexta-feira, a autoridade prevê precipitação forte e persistente no litoral norte e centro que vai progredir para o sul, formação de gelo e geada no interior norte e centro, possibilidade de queda de neve acima dos 1.400 metros, rajadas de vento até aos 70 km/h e ondas entre os quatro e cinco metros.

Na imagem pode ver-se o "rio atmosférico" que vai atravessar Portugal esta quinta-feira (Fonte: Ventusky)

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) também colocou os distritos de Braga, Porto e Viana do Castelo sob aviso laranja, entre as 6:00 e 18:00 desta quinta-feira, devido a “precipitação, por vezes forte e persistente, e com trovoadas ocasionais”. Já para Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Vila Real e Viseu foi emitido um aviso amarelo entre as 9:00 e as 18:00, também devido à chuva intensa. No litoral norte e centro, os meteorologistas alertam ainda para a formação de ondas entre os quatro e cinco metros, entre as 00:00 e as 8:00.

Temperaturas sobem

A culpa é do “rio atmosférico” proveniente das Caraíbas que, para além das tempestade, vai provocar uma pausa no frio. As temperaturas, que esta quarta-feira variavam entre -3º na Guarda e 18º em Sagres, vão subir para mínimas de 3º na Guarda e em Bragança e 20º em Sagres. 

Previsões do IPMA para quarta e quinta-feira (Fonte: Instituto Português do Mar e da Atmosfera)

 

O que é um "rio atmosférico"?

Este é um fenómeno comum e recorrente em Portugal nos meses de outono inverno, o IPMA explica que "rios atmosféricos" são assim designados por se tratarem de "zonas relativamente longas e estreitas na atmosfera que transportam a maior parte do vapor de água dos trópicos [desta feita, proveniente das Caraíbas] para as regiões a norte", delineando um traçado semelhante ao de um rio, mas céu.

A neve, tempestades e as chuvas fortes e persistentes são a característica mais marcante deste fenómeno, porque, como explicam o instituto português, "estas colunas de vapor de água movem-se em conjunto com a circulação geral, transportando grandes quantidades de vapor de água e quando atingem terra geralmente precipitam esse conteúdo de vapor de água sob a forma de chuva ou neve".

Formato do "rio atmosférico" que vai chegar esta quinta-feira a Portugal (Fonte: Ventusky)

Recomendações 

A Proteção Civil lembra que os riscos inerentes a meteorologia dos próximos dias podem ser minimizados e deixa um conjunto de sugestões:

  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas, evitando a circulação e permanência nestes locais;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tomando especial atenção à eventual acumulação de neve e/ou formação de lençóis de água nas vias rodoviárias;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.
Continue a ler esta notícia