Rapper francês MHD condenado a 12 anos de prisão por homicídio - TVI

Rapper francês MHD condenado a 12 anos de prisão por homicídio

  • CNN Portugal
  • MJC
  • 24 set 2023, 09:35
Rapper francês MHD (GettyImages)

Loic K morreu na noite de 5 de julho de 2018, quando foi atropelado por um Mercedes preto e depois espancado e esfaqueado por cerca de uma dúzia de pessoas em Paris. O músico de 29 anos foi considerado culpado de ter participado no homicídio

Relacionados

O rapper francês MHD foi condenado a 12 anos de prisão pelo homicídio de um jovem em Paris em 2018.

MHD, cujo nome verdadeiro é Mohamed Sylla, foi considerado culpado pela morte de Loic K, de 23 anos, segundo a emissora francesa BFM TV.

Cinco outros réus também foram presos pelo assaddínioe receberam penas entre 10 e 18 anos. Três homens foram absolvidos. Os condenados têm 10 dias para recorrer da sentença.

Loic K morreu na noite de 5 de julho de 2018, quando foi atropelado por um Mercedes preto e depois espancado e esfaqueado por cerca de uma dúzia de pessoas no 10º distrito de Paris. O carro foi encontrado abandonado e queimado num estacionamento um dia depois.

Na sua declaração final ao tribunal, MHD insistiu que era inocente. “Desde o início, mantive a minha inocência neste caso e continuarei a mantê-la”, disse, segundo a agência de notícias AFP. 

MHD negou estar no local, mas um residente filmou o ataque de sua janela e o Mercedes foi identificado como pertencente ao rapper, informou a AFP.

MHD, que tem muitos seguidores nas redes sociais, trabalhava como entregador de pizza em Paris antes de se dedicar profissionalmente à música. Filho de mãe senegalesa e pai guineense, diz que foi influenciado pela música que ouvia na infância, em casa, incluindo Papa Wemba e Salif Keita. Foi pioneiro no afro-trap – uma mistura de hip-hop e tradições africanas – e tornrou-se conhecido em 2015, com as músicas que partilhou no YouTube, entre as quais uma canção dedicada ao clube de futebol Paris Saint-Germain. O músico, que tem atualmente 29 anos, gravou dois álbuns e estreou-se como ator de cinema no filme "Mon frère" ("O meu Irmão"), realizado por Julien Abraham, antes de ser detido em 2019. Libertado enquanto aguardava julgamento, lançou um terceiro disco em 2021.

Continue a ler esta notícia

Relacionados