Vai começar o Mundial Sub-20: depois de Maradona, Messi ou Haaland, quem será o próximo? - TVI

Vai começar o Mundial Sub-20: depois de Maradona, Messi ou Haaland, quem será o próximo?

Craques Mundial sub-20

O Maisfutebol apresenta cinco jogadores, indicados por cinco especialistas, que reúnem todas as condições para serem eleitos o melhor da competição e se perfilam como a próxima grande estrela mundial. Há um brasileiro, um argentino, um inglês, um equatoriano e um gambiano.

O Mundial Sub-20 começa no sábado, na Argentina, sem a presença de Portugal, que não se apurou, mas com seleções como Brasil, Argentina, Inglaterra, França ou Itália. Além disso é sempre um acontecimento para os verdadeiros amantes do futebol.

No fundo serve para apresentar ao mundo as estrelas do futuro, se bem que este ano esta frase merece um asterisco.

Isto porque o Mundial se realiza durante parte decisiva da temporada dos clubes, o que conduziu à ausência de várias das maiores estrelas da categoria.

Não vamos ter nomes como, por exemplo, Jude Bellingham (Borussia Dortmund), Endrick (Palmeiras), Garnacho (Manchester United), Facundo Buonanotte (Brighton), Mathys Tel (Bayern Munique), Malo Gusto (Lyon) ou Vítor Roque (At. Paranaense).

Basicamente os clubes não aceitaram libertar os jogadores, o que sem dúvida torna esta competição mais pobre. Mesmo assim ainda há, claro, muito talento para descobrir, e por isso o Maisfutebol pediu a cinco especialistas que revelassem um jogador que acreditam que vai ser o destaque deste Mundial Sub-20.

No fim, portanto, temos cinco candidatos à sucessão do trono.

Recorde-se que o Mundial Sub-20 já premiou nomes como Maradona, Messi, Pogba, Prosinecki, Haaland, Adriano Imperador, Saviola ou Kun Aguero.

Isto sem esquecer, para nós portugueses, a geração de ouro que venceu a competição em 1989 e 91, com Figo, Rui Costa, Paulo Sousa ou João Pinto.

Quem será o próximo?

KENDRY PÁEZ, Equador
Jogador do Independiente del Valle, nascido em 2007

*A escolha do diretor desportivo José Boto

O miúdo equatoriano é um dos fenómenos mais entusiasmantes do futebol mundial nesta altura. Nascido em 2007, cumpriu no início deste mês de maio apenas 16 anos. Talvez por isso já assinou um pré-contrato com o Chelsea, que se tornará efetivo quando o jogador cumprir 18 anos, diz-se que a troco de vinte milhões de euros.

Antes disso, quando ainda tinha 15 anos, realizou a estreia na equipa principal do Independiente del Valle, jogando noventa minutos e fazendo até um golo em jogo da primeira jornada do campeonato equatoriana. Desde então tornou-se uma escolha habitual do líder destacado da Liga do Equador e estreou-se também na Libertadores.

Kendry Páez é por isso a escolha de José Boto, antigo coordenador de scouting do Benfica e atual diretor desportivo do PAOK, que destaca o fantástico potencial mostrado pelo esquerdino no Sul-Americano sub-17 realizado em março, com dois golos e seis assistências em oito jogos, que ajudam o Equador a chegar à final da competição.

«Foi um dos jogadores equatorianos de maior destaque no Sul-Americano de sub-17. Pode jogar como médio-ofensivo ou extremo e mistura grande capacidade técnica, inteligência de jogo e velocidade de raciocínio, mas também um bom potencial físico, lembrando que ainda está numa idade de grande desenvolvimento físico», destaca.

MARCOS LEONARDO, Brasil
Jogador do Santos, nascido em 2003

*A escolha do treinador Pedro Bouças

Ponta de lança de 20 anos, também cumpridos no início deste mês, é mais um produto da incrível escola do Santos. Foi Jesualdo Ferreira quem o convocou pela primeira vez, embora tenha sido Cuca quem lhe deu a estreia, umas semanas depois. Desde então não parou e já soma quatro temporadas na equipa principal.

«Tive a felicidade de poder trabalhar com o Marcos Leonardo na primeira equipa do Santos, tinha o avançado ainda apenas 16 anos e já se notava quão diferente era. O professor Jesualdo Ferreira comparava-o a Falcao e já na altura se percebia que tem condições para ser um avançado de referência no futebol mundial», diz Pedro Bouças.

«É um finalizador incrível, com uma facilidade e potência de remate que impressiona. Muito forte nos seus movimentos na grande área, seja pela leitura da situação seja pela velocidade que imprime quando em diagonais curtas decide iniciar tais movimentos. Demonstra uma aptidão muito grande para o momento da finalização e com isso a capacidade para resolver qualquer jogo.»

Nos últimos três anos, e apesar de ainda ser um adolescente, realizou um total de 144 jogos pelo Santos, marcou 41 golos e fez oito assistência. Surge No Mundial Sub-20 com o maior valor de mercado (15 milhões de euros, tal como Andrey Santos, do Vasco, e Chukwuemeka, do Chelsea) e tem sido insistentemente associado à Roma.

MAXIMO PERRONE, Argentina
Jogador do Manchester City, nascido em 2003

*A escolha do scout Francisco Gomes da Silva

Embora seja internacional jovem desde os sub-16, a carreira de Maximo Perrone explodiu de facto no último ano. Estreou-se pela equipa principal do Velez Sarsfield em março de 2022, pouco depois fez o primeiro golo na Libertadores, em janeiro de 2023 foi contratado pelo Man. City e em março foi chamado à seleção principal.

«Médio defensivo que o City contratou ao Vélez em Janeiro deste ano por 11 milhões, depois de uma excelente temporada ao serviço do clube argentino. Canhoto de apenas 20 anos que pode alinhar como médio mais recuado, sendo o principal responsável pela fase de construção, ou como médio de ligação onde demonstra boa capacidade de passe, visão de jogo e qualidade para conduzir a bola», diz Francisco Gomes da Silva, scout e analista de futebol.

«Muito inteligente na ocupação dos espaços, pela segurança e critério com bola. Sempre disponível para receber e ligar o jogo, não se esconde e tem qualidade para sair das zonas de pressão. Defensivamente é um jogador com boa reação e agressivo na pressão. É uma das figuras da Argentina e promete ser destaque neste Mundial.»

Curiosamente, houve meios a compará-lo com Fernando Redondo. Guardiola recusou estabelecer esse paralelo, mas elogiou a inteligência de Perrone. «É mais rápido com a cabeça do que os pés. Não o conhecia, mas foi indicado pelo nosso consultor na América do Sul, que já tinha sugerido Gabriel Jesús y de Julián Álvarez», referiu.

CARNEY CHUKWUEMEKA, Inglaterra
Jogador do Chelsea, nascido em 2003

*A escolha do analista Rafael Silva

Filho de pai nigerianos, nascido na Áustria, cresceu em Northampton, a cerca de cem quilómetros de Londres, para onde a família emigrou quando Carney Chukwuemeka ainda era criança. Com 12 anos viajou para Birmingham, para se juntar à academia do Aston Villa, onde já estava o irmão Caleb, atualmente a jogar no Crawley Town.

No último verão, quando tinha 18 anos, e já depois de somar um total de 12 jogos na Liga Inglesa, provocou uma disputa entre vários clubes, acabando por ser o Chelsea a ganhar a corrida: nessa altura pagou 18 milhões ao Aston Villa e assinou com o jovem por seis anos. Desde então cumpriu 12 jogos na equipa de Londres.

«Foi campeão europeu de sub-19 pela Inglaterra e atualmente atua no Chelsea. Pode atuar como 8, ou como 10, sendo um jogador que se destaca pela capacidade que tem de encher o meio-campo. Quando tem bola destaca-se pela velocidade com que consegue driblar os adversários e chegar rapidamente a zonas de finalização», refere Rafael Silva, analista da ProScout.

«Alia a isso uma excelente visão de jogo e qualidade de passe, estando constantemente à procura do espaço para ser solução. No aspeto defensivo, utiliza a sua estatura e velocidade para ganhar duelos aos adversários, destacando-se pela reação à perda e capacidade para pressionar o portador da bola.»

ADAMA BOJANG, Gambia
Jogador do Steve Biko FC, nascido em 2004

*A escolha do scout José Chieira

O avançado de 18 anos (cumpre 19 em breve) brilhou a grande altura na Taça das Nações Africanas Sub-20, quando fez quatro golos em seis jogos, tornando-se então um dos destaques no bloco de apontamentos dos grandes olheiros do futebol mundial. Por isso tornou-se a escolha de José Chieira, antigo scout de FC Porto e Sporting.

«Fugindo à tendência da descoberta dos mercados do eixo Europa-América do Sul, num escalão que já apresenta poucas surpresas aos olhares mais atentos, deixo uma pista diferente. Referência ofensiva de uma selecção da Gâmbia (curiosamente orientada pelo seu avô) que mostrou excelente nível na recente CAN Sub-20», diz.

«É mais um produto do inesgotável viveiro de jogadores africanos formados localmente - desta vez numa Gâmbia que tem assumido um percurso claramente ascendente em termos de qualidade e atualidade na sua proposta de jogo e, ainda mais, nos perfis dos jogadores chamados a integrar os escalões mais jovens.»

Conhecido como Ciclone Gambiano, Adama Bojang é fã de Cristiano Ronaldo e já confessou à BBC Africa que frequenta muito as redes sociais do português para tentar imitar as coisas que ele faz. Até nos exercícios em casa ou na forma de recuperar do esforço. Talvez por isso, confessou que o sonho dele é um dia jogar no Real Madrid.

«É o tipo de avançado que oferece diversas soluções - também porque mostra um conhecimento do jogo acima da média. Seja em apoio, entre linhas e à largura, combinação e profundidade, sempre ligado, antecipa e pisa bem, fino e intuitivo, orientado e muito coordenado para a sua altura. Tecnicamente acima da média, domina todos os fundamentos, incluindo o drible em velocidade, preparar e finalizar. Explosivo e rápido, há ainda margem para crescer também na dimensão física (força/potência), que lhe retira (ainda) efectividade na referência, no duelo e no jogo aéreo, e maior contundência, fundamental para aspirar a um patamar de Big5. Descubram-no!»

Continue a ler esta notícia