Cidade galega prepara Tinder da vida real: um encontro só para solteiros - TVI

Cidade galega prepara Tinder da vida real: um encontro só para solteiros

  • 10 mar 2023, 23:00
Coração

Está cada vez mais difícil fazer 'match', mas dois amigos tiveram uma ideia

A pandemia tornou mais difícil encontrar o amor. É o que pensam dois galegos que decidiram organizar uma festa em Ourense para que solteiros se possam conhecer. É uma missão altruísta, adiante-se. Ambos são casados.

“Cada vez conhecemos mais gente que se separa ou que não é capaz de encontrar par”, diz Julio Gosende, empresário, um dos mentores da iniciativa, à Voz de Galicia.

Juntar solteiros não é inédito na Galiza (e tão-pouco em Espanha). Os amigos decidiram fazer o mesmo que a hoteleira Lara López-Leytón que, todos os anos, por alturas do São Valentim, organiza um jantar especial para quem não tem cara-metade no seu restaurante na cidade de Foz. Julio e o amigo decidiram então fazer o mesmo. “Vamos tentar a nossa sorte e fazer algo parecido em Ourense.” 

Este Tinder da vida real acontece em Celanova no próximo dia 1 de abril no restaurante Betanzos - há jantar, vinho e champanhe, baile e espaço para 300 pessoas. O objetivo é ambicioso: “A nossa intenção é que, dessa noite, saiam pelo menos 40 ou 50 casalinhos.” 

Os requisitos são simples: ser solteiro, divorciado ou viúvo. E também querer conhecer pessoas. “O importante é divertir-se, que cada um mostre como é e que perca a vergonha”, acrescenta Julio. Lançaram a ideia esta semana e já têm 50 entradas vendidas. Participar custa 49 euros. 

Julio Gosende revela que, por esta altura, são mais as mulheres inscritas do que os homens, e mais galegos do que oriundos de outros lugares, embora também já se saiba que vão estar presentes asturianos e madrilenos. Todos são bem-vindos, incluindo portugueses, que também são vizinhos da Galiza. “Não importa a idade, religião, economia ou origem. O que faz falta é querer encontrar o amor”, sublinha o empresário.

Os encontros para solteiros em Espanha não são de agora. São bem anteriores aos telemóveis, internet e aplicações de encontros. 

Em 1985, a pequena aldeia de Plan, em Huesca - onde viviam 700 habitantes, entre eles 142 homens solteiros - lançou o apelo em anúncios colocados nos jornais da região. Queriam a visita de raparigas com vontade de formar família. Também a eles a ideia não lhes caiu do céu. Aconteceu, contava o El Pais, depois de terem visto o western de 1951 “Westward the Women”. O objetivo era encontrar o amor, mas também contribuir para o povoamento de zonas que começavam a ficar despovoadas. 

Em 2015, quando passavam 30 anos desse acontecimento, fizeram-se as contas. Segundo o Heraldo de Huesca, saíram 40 casais dessa chamada. A aldeia de Plan tinha 220 habitantes. 

 

 

Continue a ler esta notícia

EM DESTAQUE