Pelo menos 17 mortos em naufrágio na costa de Myanmar com migrantes rohingya - TVI

Pelo menos 17 mortos em naufrágio na costa de Myanmar com migrantes rohingya

  • Agência Lusa
  • FG
  • 10 ago 2023, 10:23
Rohingya die at sea(Mahmud Hossain Opu/AP)

Foram descobertos oito homens vivos e que outras 30 pessoas estão desaparecidas

Relacionados

Pelo menos 17 pessoas morreram afogadas na costa de Myanmar, antiga Birmânia, num naufrágio de um barco que transportava migrantes rohingya, que tentavam fugir do país, disseram esta quinta-feira os serviços de resgate.

"Encontrámos 17 corpos", disse Byar La, socorrista da Fundação Shwe Yaung Metta, à Agência France Presse, acrescentando que foram descobertos oito homens vivos e que outras 30 pessoas estão desaparecidas.

Todos os anos, milhares de rohingyas arriscam as suas vidas em perigosas viagens marítimas a partir de acampamentos no Bangladesh e em Myanmar, na tentativa de chegar à Malásia e à Indonésia, de maioria muçulmana.

Mais de 50 pessoas estavam a bordo do barco, que seguia para a Malásia quando, no mar agitado, teve problemas, durante a noite de domingo para segunda-feira, de acordo com Byar La.

"Encontrámos oito homens vivos. A polícia levou-os para interrogatório", contou.

As equipas de resgate ainda estão a tentar encontrar pessoas desaparecidas, acrescentou.

O estado predominantemente budista de Rakhine, em Mianmar, é o lar de cerca de 600.000 muçulmanos rohingya, que são considerados intrusos do Bangladesh, embora vivam no país há gerações e não tenham cidadania nem liberdade de movimento.

Em 2017, uma repressão dos militares de Mianmar forçou cerca de 750.000 rohingya a fugir do país para o Bangladesh, após relatos generalizados de assassinatos, incêndios criminosos e violações.

A Comissão Europeia aprovou no mês passado 12,5 milhões de euros para apoiar as populações em Myanmar e os refugiados rohingya no Bangladesh, na sequência da grave crise humanitária naquela região da Ásia.

A verba será canalizada para as necessidades humanitárias da população em Myanmar, assim como os refugiados daquela minoria étnica e as comunidades que os acolhem na região que faz fronteira entre o Bangladesh e a antiga Birmânia.

Continue a ler esta notícia

Relacionados

EM DESTAQUE