Marinha nega acusações de eliminação de provas no navio Mondego - TVI

Marinha nega acusações de eliminação de provas no navio Mondego

  • Agência Lusa
  • AM
  • 20 mar 2023, 19:48
NRP Mondego (D.R. Marinha)

Suspeita foi levantada pelos advogados dos militares. Marinha "refuta cabalmente" a acusação e refere que algumas das reparações feitas ao navio contaram com a participação dos militares que se tinham recusado a embarcar para uma missão na Madeira

Relacionados

A Marinha negou esta segunda-feira ter apagado qualquer prova de avarias no navio Mondego e alegou que algumas das reparações contaram com a participação dos militares que se tinham recusado a embarcar para uma missão na Madeira.

“A Marinha refuta cabalmente que tenha apagado qualquer prova”, lê-se num comunicado divulgado pelo ramo.

No texto é referido que “a inspeção realizada confirma as avarias em questão que, contudo, não eram impeditivas do cumprimento da missão em segurança”.

A Marinha acrescenta que “o navio prossegue a sua preparação” e que “algumas das avarias foram, inclusive, reparadas com a participação dos militares que destacaram do navio na semana passada”.

“Atualmente, o NRP Mondego está a realizar uma ação de treino, na Zona Marítima da Madeira, que serve também para integrar os novos elementos da guarnição, que foi rendida em parte significativa”, lê-se no texto.

O Ministério Público suspendeu esta segunda-feira a audição dos 13 militares que se recusaram embarcar no navio Mondego na noite do passado dia 11, alegando questões de segurança, por decisão da procuradora para analisar o processo com mais detalhe, anunciou a defesa.

Os militares em causa iam ser esta segunda-feira ouvidos pela Polícia Judiciária Militar (PJM), em Lisboa, no âmbito de inquérito criminal após participação feita pela Marinha.

Os advogados dos 13 militares do navio Mondego alegam que "há indícios de prova que foram apagados" pela Marinha e vão pedir diligências de prova.

Fonte ligada à defesa adiantou à agência Lusa no domingo que "há indícios de prova que estão a ser apagados" e que o navio Mondego "foi todo limpo" na quarta-feira, antes da ida ao local de duas televisões. Um avião carregado de material terá voado até ao Funchal para permitir reparações no navio, acrescentou.

A fonte referiu que a Marinha Portuguesa sustenta que o navio Mondego estava em "condições de partir" para o mar e que isso é "comprovado por uma inspeção". Só que a dita inspeção foi feita pela Marinha, sem a presença de quaisquer outras entidades, e com base nisso se "começaram a fazer reparações a bordo do navio", disse.

Segundo uma resposta enviada pelo ramo à Lusa, a inspeção em causa foi levada a cabo por “uma equipa multidisciplinar, coordenada pela Superintendência do Material, tendo esta realizado uma inspeção a todos os equipamentos e sistemas do NRP Mondego”.

A recusa dos militares em embarcar no passado dia 11 levou a Marinha a falhar uma missão de acompanhamento de um navio russo, a norte da ilha de Porto Santo, no arquipélago da Madeira. Os militares em causa foram também alvo de processos disciplinares pelo ramo.

Continue a ler esta notícia

Relacionados

Mais Vistos