Sismo mortal atinge o Nepal, destrói casas e mata pelo menos 157 pessoas - TVI

Sismo mortal atinge o Nepal, destrói casas e mata pelo menos 157 pessoas

  • CNN
  • Sugam Pokharel, Jennifer Hauser e Jerome Taylor
  • 4 nov 2023, 15:12

Terramoto de sexta-feira é já o mais mortífero desde 2015

Relacionados

Pelo menos 157 pessoas morreram num sismo que atingiu uma zona remota do noroeste do Nepal durante a noite de sexta-feira e destruiu vários edifícios, tendo as autoridades alertado para a possibilidade de o número de mortos aumentar, de acordo com um oficial da polícia.

O terramoto de magnitude 5,6, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), atingiu cerca de 42 quilómetros (cerca de 26 milhas) de Jumla, no Nepal, na província de Karnali. O sismo atingiu uma profundidade relativamente pequena de 18 quilómetros e os tremores puderam ser sentidos tão longe como a capital da Índia, Nova Deli.

"Neste momento, estamos apenas concentrados nas operações de busca e salvamento", afirmou o porta-voz da polícia nepalesa, Kuber Kadayat, à CNN. "É por isso que ainda não temos uma estimativa precisa do número de casas e outras infraestruturas desmoronadas e danificadas. Em algumas aldeias, estima-se que 90% das casas tenham desabado".

De acordo com Kadayat, até à data foram confirmadas 157 mortes e 170 feridos, o que faz do sismo de sexta-feira o mais mortífero desde 2015.

No distrito de Jajarkot, perto do epicentro do terramoto, 105 pessoas foram declaradas mortas e outras 55 ficaram feridas. No distrito vizinho de Rukum West, 52 pessoas morreram e 85 ficaram feridas, disse Kadayat.

Imagens da Reuters mostraram várias casas reduzidas a pilhas de tijolos e madeira em Jajarkot.

Esta fotografia fornecida pelo gabinete do primeiro-ministro do Nepal mostra uma área afetada pelo sismo no noroeste do Nepal (AP)

Os terramotos são comuns no Nepal, que se situa onde as placas tectónicas indiana e eurasiática se encontram para criar a imponente cadeia montanhosa dos Himalaias.

Em 2015, um terramoto de magnitude 7,8 causou a morte de pelo menos 9000 pessoas, danificando cerca de um milhão de casas e edifícios em todo o país e provocando prejuízos de 6 mil milhões de dólares.

As autoridades disseram à Reuters que temiam que o número de vítimas aumentasse no sismo de sexta-feira porque não tinham conseguido estabelecer contacto na zona montanhosa perto do epicentro, cerca de 500 quilómetros a oeste da capital Katmandu, onde também se sentiram tremores.

"O número de feridos pode ser na ordem das centenas e as mortes também podem aumentar", disse à Reuters, por telefone, Harish Chandra Sharma, funcionário do distrito de Jajarkot.

"Muitas casas desmoronaram-se e muitas outras desenvolveram fendas. Milhares de residentes passaram a noite inteira em terrenos frios e abertos, porque estavam demasiado assustados para entrar nas casas com fissuras, quando os tremores de terra se fizeram sentir", acrescentou Sharma.

O distrito de Jajarkot tem uma população de 190.000 habitantes, com aldeias espalhadas em colinas remotas. Imagens divulgadas pela agência noticiosa AFP mostram sobreviventes reunidos no principal hospital de Jajarkot.

Imagem de um vídeo mostra os aldeões em frente às suas casas danificadas pelo terramoto da noite passada em Jagarkot (AP)

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, expressou as suas condolências aos entes queridos dos mortos no sismo.

"Profundamente triste com a perda de vidas e os danos causados pelo terramoto no Nepal", escreveu Modi no X, anteriormente conhecido como Twitter. "A Índia está solidária com o povo do Nepal e está pronta a prestar toda a assistência possível. Os nossos pensamentos estão com as famílias enlutadas e desejamos uma rápida recuperação aos feridos".

Continue a ler esta notícia

Relacionados