Neve, vento forte e mar agitado. Proteção Civil faz uma série de recomendações para o fim de semana - TVI

Neve, vento forte e mar agitado. Proteção Civil faz uma série de recomendações para o fim de semana

Uma manhã fria e branca. Caiu neve em Vila Pouca de Aguiar (Lusa/PEDRO SARMENTO COSTA)

Há várias consequências a ter em conta e medidas preventivas que pode adotar. Veja aqui o que fazer

Relacionados

Vento forte, agitação marítima e queda de neve. O fim de semana vai ser frio e há várias precauções a ter. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) já tinha anunciado que 10 distritos estavam em aviso amarelo a partir da manhã de sábado por causa da neve, havendo outros com aviso laranja para a agitação marítima, mas a Proteção Civil veio agora fazer novo alerta.

De acordo com as autoridades vai verificar-se vento forte, sobretudo no litoral oeste e nas terras altas, podendo chegar a rajadas de 95 quilómetros por hora. Em paralelo é esperada agitação marítima forte na costa ocidental, além de queda de neve nas terras altas do Norte e Centro, nomeadamente acima dos 1.400/1.600 metros durante a noite e madrugada de sábado, sendo que durante a tarde a neve poderá cair a partir de altitudes como 700/900 metros.

De acordo com comunicado divulgado esta quinta-feira pelo IPMA, Porto, Vila Real, Viana do Castelo, Aveiro e Braga estarão sob aviso amarelo devido à neve entre as 12:00 de sábado e as 09:00 de domingo, num fim de semana que vai ser de frio em grande parte do território.

Já o alerta para Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco e Coimbra vigora entre as 12:00 e as 21:00 de sábado.

Sete distritos do continente vão ainda estar no sábado sob aviso laranja devido à previsão de agitação marítima, prevendo-se ondas de noroeste com cinco a seis metros, também segundo o IPMA.

Os distritos do Porto, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga começam com aviso amarelo entre as 21:00 desta quinta-feira e as 06:00 de sábado, passando depois a laranja até às 00:00 de domingo.

Por isso mesmo é expectável que se verifiquem várias condicionantes, com a Proteção Civil a alertar para os seguintes efeitos:

-Piso rodoviário escorregadio devido à possibilidade de acumulação de gelo, geada e neve;
-Possibilidade de queda de neve em áreas e a altitudes onde habitualmente não se verifica;
-Possíveis acidentes na orla costeira devido à forte agitação marítima; – Possibilidade de queda de ramos ou árvores, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
-Desconforto térmico na população devido à descida acentuada da temperatura mínima.

E é por isso que a Proteção Civil faz também as seguintes recomendações:

-Prestar atenção aos grupos mais vulneráveis (crianças nos primeiros anos de vida, doentes crónicos, pessoas idosas ou em condição de maior isolamento, trabalhadores que exerçam atividade no exterior e pessoas sem abrigo);
-Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
-Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
-Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando a circulação e permanência nestes locais;
-Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;
-Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tomando especial atenção à eventual acumulação de neve e/ou formação de gelo ou geada nas vias rodoviárias;

  • -Evitar a circulação em vias afetadas pela acumulação de neve e quando isso não for possível, adotar as seguintes medidas:Verificação do estado dos pneus e respetivas pressões;
  • Transporte e colocação das correntes de neve nos veículos; • Assegurar o abastecimento de combustível em níveis que permitam percorrer trajetos alternativos ou a permanência do veículo em funcionamento por longos períodos de tempo, em caso de retenção nas vias afetadas;
  • Nos veículos elétricos, deve ser verificada a carga da bateria e analisada a existência de postos de carregamento no seu itinerário;
  • Garantir que os sistemas de aquecimento dos veículos se encontram em bom estado de funcionamento;
  • Providenciar alimentos adequados em quantidade e características, assim como medicamentos, de acordo com o número e tipologia de ocupantes dos veículos.

-Nas vias afetadas pela acumulação de neve, evitar viagens com crianças, idosos ou pessoas com necessidades especiais;
-Evitar circular naquelas vias com veículos pesados, em particular articulados, veículos com reboque e veículos de tração traseira;
-Restringir ao máximo possível os movimentos de veículos e de pessoas apeadas, nas zonas potencialmente afetadas pela queda de neve;
-Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Continue a ler esta notícia

Relacionados