Nike está sob investigação no Canadá por relação com trabalho forçado na China - TVI

Nike está sob investigação no Canadá por relação com trabalho forçado na China

  • Agência Lusa
  • MJC
  • 12 jul 2023, 00:02
Nike (AP)

Segundo informações preliminares, a Nike “mantém relações de fornecimento com empresas chinesas conhecidas por utilizarem ou beneficiarem do trabalho forçado da mão de obra uigur”, apesar de a empresa de equipamento desportivo garantir que não tem relações com essas empresas

Relacionados

Uma agência governamental canadiana anunciou esta terça-feira que está a investigar a Nike Canadá e a mineira Dynasty Gold pelos seus vínculos a empresas que beneficiam do recurso ao trabalho forçado de uigures na China.

A Defensora do Povo do Canadá para o Comportamento Empresarial Responsável (CORE, na sigla em Inglês), Sheri Meyerhoffer, anunciou hoje a abertura de duas investigações independentes, depois de receber relatórios iniciais sobre as duas empresas.

Esta é a primeira vez que a CORE avança com investigações desde que começou a funcionar no início de 2021.

Segundo informações preliminares, a Nike “mantém relações de fornecimento com empresas chinesas conhecidas por utilizarem ou beneficiarem do trabalho forçado da mão de obra uigur”, apesar de a empresa de equipamento desportivo garantir que não tem relações com essas empresas.

Sobre a Dynasty Gold, a CORE afirmou que beneficiou do uso do trabalho forçado da mão de obra uigur em uma mina na China, na qual a mineira canadiana tem uma participação maioritária.

Em comunicado, Meyerhoffer disse que decidiu “avançar com investigações sobre estas denúncias para conhecer os factos e recomendar as medidas adequadas”.

A CORE pode propor ao governo canadiano que retire ajudas financeiras ou apoio para à realização de atividades comerciais a empresas que operem no estrangeiro, quando determinar que essas operações não se ajustam às normas canadianas.

Várias organizações de defesa dos direitos humanos têm questionado a efetividade da CORE e, em particular, apontam a sua falta de capacidade de realizar investigações exaustivas e castigar as empresas que violam as leis canadianas.

Continue a ler esta notícia

Relacionados