Nova Iorque está a afundar e a culpa é dos arranha-céus - TVI

Nova Iorque está a afundar e a culpa é dos arranha-céus

  • CNN Portugal
  • AM
  • 22 mai 2023, 13:47
Arranha-céus em Nova Iorque, Manhattan, Estados Unidos da América. 9 junho 2022. Foto: Gary Hershorn/Getty Images

Estudo revela que cidade afunda entre um a dois milímetros por ano graças aos 760 milhões de quilos de prédios nos cinco distritos da cidade

A cidade de Nova Iorque, nos EUA, está com um problema: a cada ano que passa, a cidade está a afundar e a culpa é dos arranha-céus que fazem parte da paisagem nova-iorquina.

Segundo um estudo publicado na revista Earth's Future, a cidade enfrenta um risco cada vez maior de inundações por causa do peso dos prédios e está a afundar-se entre um a dois milímetros por ano. A cidade de Manhattan encontra-se entre a um a dois milímetros acima do nível do mar e o aluimento estimado é de 2,1 milímetros por ano.

A investigação dirigida por Tom Parsons, do Serviço Geológico dos Estados Unidos, revela ainda que há zonas da cidade onde a taxa de afundamento será significativamente maior.

Citado pela ABC, o estudo revela ainda que a geologia da superfície da cidade é um terreno complexo que inclui sedimentos como rochas, areia e argila, entre outros, e o peso dos edifícios está a empurrar para baixo este amontoado de materiais.

Embora muitos dos edifícios de maiores dimensões estejam assentes em rochas sólidas, como o xisto, há uma mistura de outras areias e argilas sobre as quais foram construídos que contribui para este afundamento.

"A pressão cumulativa aplicada no solo por grandes edifícios contribui para o aluimento não só através do assentamento primário inicial causado pela compressão do solo e pela redução do espaço vazio, mas também através de um possível assentamento secundário causado pela fluência em camadas ricas em argila que pode continuar indefinidamente", explica a investigação.

Os autores do estudo calcularam o peso de 1.084.954 edifícios nos cinco distritos da cidade - entre os quais o Empire State Building - e combinaram com o tipo de condições do solo. No total, os prédios pesam cerca de 760 milhões de quilos. O problema é que a construção não estagnou e o aumento de prédios na zona pode levar ao aceleramento do aluimento, que, combinado com o aumento acelerado do nível do mar, pode causar um período de inundação crescente nas cidades costeiras.

"Além disso, a exposição repetida das fundações dos edifícios à água salgada pode corroer o aço de reforço e enfraquecer quimicamente o betão, conduzindo a um enfraquecimento estrutural", observam os investigadores.

Ou seja, os habitantes de Nova Iorque enfrentam não só o possível aluimento da cidade, como o perigo de inundações, assim como o aumento da intensidade de furacões que, nos últimos anos, causaram graves danos na zona. 

Desde 1950, a água que rodeia Nova Iorque aumentou 22 centímetros e os cientistas alertam que as inundações provocadas por tempestades podem ser até quatro vezes mais frequentes a partir de agora. 

"Não é algo para entrar em pânico imediatamente, mas há um processo contínuo que aumenta o risco de inundações. Quanto mais macio for o solo, maior será a compressão dos edifícios. Não foi um erro construir edifícios tão grandes em Nova Iorque, mas temos de ter em mente que, de cada vez que se constrói algo lá, empurra-se o solo um pouco mais", afirmou Tom Parsons.

Continue a ler esta notícia

Mais Vistos