Professor que viu caricatura recusada em exposição, depois de ter sido aceite, diz que é um "triste momento para a cultura". E promete não ficar quieto - TVI

Professor que viu caricatura recusada em exposição, depois de ter sido aceite, diz que é um "triste momento para a cultura". E promete não ficar quieto

  • CNN Portugal
  • ARC
  • 29 jun 2023, 19:57
Caricatura do ministro da Educação João Costa, por Pedro Pinto. https://www.pedrobrito.eu/wp/

Pedro Brito vai manifestar o seu “descontentamento” às portas do Comité. A manifestação terá lugar no próximo dia 3 de julho, pelas 18:00, o primeiro dia da exposição, que se prolonga até 21 de julho.

Relacionados

Professores, artistas e até figuras importantes estão a reagir à polémica caricatura do ministro da Educação, João Costa, que foi selecionada para uma exposição, para dias depois ser recusada, conta o autor da obra à CNN Portugal. Pedro Brito diz que está a receber mensagens de “consternação, profundo apoio e espanto” e, ao mesmo tempo, pede respostas à organização da COMBART.

“Juntos estamos a fazer a luta para mudar este país” foi uma das mensagens que mais tocou o professor, por mostrar que “ainda há esperança”. Esta mensagem junta-se aos muitos comentários que está a receber nas redes sociais e no seu blogue, onde se podem ler palavras como “vergonha” e “repúdio” relativamente à retirada da caricatura de João Costa, desenhado com um lápis espetado no olho e a palavra demissão..

“Quem na semana passada se demarcou do assunto, agora junta-se a mim”, conta o professor, referindo-se à caricatura de António Costa com nariz de porco e também um lápis espetado no olho, que foi exibida durante uma manifestação em Lisboa no 10 de Junho.

Pedro Brito repudia publicamente o “cancelamento” de que foi alvo, como lhe chama, e fala num “triste momento para a cultura portuguesa”.

A obra, em que desenhou e pintou o ministro da Educação com um lápis espetado no olho e a palavra "Demissão", foi aceite a 16 de junho para a exposição de cartazes “Inclinação para o Proibido” organizada pela entidade Comité, no âmbito da programação da COMBART 2023. O Comité recuou e, esta segunda-feira, informou Pedro Brito que a obra tinha sido recusada por causa da “dimensão da polémica”, da qual não se tinha apercebido antes, como garantiu.

Num comunicado enviado à CNN Portugal, a Comissão Organizadora da COMBART garantiu que “não teve qualquer papel na decisão tomada pelo Comité relativamente ao cartaz”. Para Pedro Brito a explicação da organização não esclarece o cancelamento, sublinhando que alguém nomeou os colaboradores que constituem o Comité e, por isso, pede respostas à Comissão Organizadora da COMBART. “Porque fogem?”, pergunta o professor.

Pedro Brito vai manifestar o seu “descontentamento” às portas do Comité. A manifestação terá lugar no próximo dia 3 de julho, pelas 18:00, o primeiro dia da exposição, que se prolonga até 21 de julho.

Continue a ler esta notícia

Relacionados