Um almoço com penico e uma mini-arruada (quase) à chuva: Pedro Nuno está no conforto da rua para "travar" o "12.º ministro de Passos" - TVI

Um almoço com penico e uma mini-arruada (quase) à chuva: Pedro Nuno está no conforto da rua para "travar" o "12.º ministro de Passos"

Pedro Nuno Santos em Lamego (Lusa)

Montenegro foi convidado de honra na caravana socialista: se o presidente do PSD é "impreparado", a direita é "uma lotaria". Em Guimarães, o candidato do PS a primeiro-ministro contou com José Luís Carneiro, antigo rival interno, que veio falar em negociações da direita com o Chega "nas costas dos portugueses". Sobre isso, Pedro Nuno não se alongou. Na agenda surgiu uma arruada surpresa em Lamego (onde Montenegro também passou este sábado, mesmo que no PS se diga que não foi por causa disso)

Relacionados

Há objetos que não esperamos encontrar num almoço. Quanto mais num almoço-comício do PS. Francisco da Conceição Ribeiro, 82 anos, trouxe um penico. Sim, leu bem, um penico. Não é para oferecer ao secretário-geral Pedro Nuno Santos. "Isto é um pedaço de história".

Militante número 8739. Dito de cor, com orgulho, pelo antigo presidente da junta em Guimarães. Traz o penico para esta iniciativa de pré-campanha - a campanha, oficial, só arranca este domingo - para "lembrar os jovens que nada herdámos". E que antes do 25 de Abril não havia saneamento. Era aí que o penico entrava em cena.

Um objeto inesperado para ter à mesa do almoço (CNN Portugal)

No berço da nação há o desejo que de que aqui nasça também, neste dia zero, a campanha do próximo primeiro-ministro de Portugal. Mil pessoas sentadas à mesa para ouvir o novo secretário-geral no Pavilhão Francisco de Holanda. Mesas identificadas com os nomes dos concelhos do distrito de Braga. E com nomes históricos do partido. Por agora, António Costa não dá nome a mesa nenhuma.

Agostinho Castro e Rosa Oliveira vieram cedo. Foram dos primeiros a chegar. Com a pressa, esqueceram-se das bandeiras do PS em casa, com que os bisnetos costumam brincar. Não há problemas, os jotas colocaram muitas em todas as mesas. Não sabem o que é o menu. Isso não importa nada.

Sala cheia para aquele que é visto como o verdadeiro arranque da campanha (CNN Portugal)

Prato principal: Pedro Nuno. Acompanhamento: "12º ministro de Passos" e "negociações nas costas" 

O PS serve uns pastéis de bacalhau e rissóis em miniatura. Serve sopa. E serve os discursos que todos queriam ouvir: José Luís Carneiro e Pedro Nuno Santos. Quem os viu e quem os vê. Ainda há umas semanas eram rivais, agora estão "unidos". Antes do lombo com batata assada, é de palavra que se alimenta o militante socialista em Guimarães.

Carneiro, ex-rival interno, é cabeça de lista por Braga (Lusa)

Carneiro, cabeça de lista pelo distrito, vem louvar um secretário-geral que "coloca os interesses do país acima dos interesses partidários". E fixa a mira na direita, sobre quem diz ter informações que "anda a negociar nas costas dos portugueses uma futura aliança, mesmo com aqueles que são contra os valores constitucionais que nós defendemos". Pedro Nuno, mais tarde, quando questionado pelos jornalistas, não se alonga no tema: "Não é matéria que me preocupe".

Mas, no discurso, dava nome a essa direita: Luís Montenegro. "Impreparado", o "12º ministro de Passos Coelho", "um dos maiores responsáveis" pelos cortes de pensões. "Com a direita, é como jogar uma lotaria, no final ganha uma minoria", diz.

“Parem de dizer mal, parem de denegrir, de destruir o que conseguimos". Para dar provas desse trabalho, Pedro Nuno Santos confia nas ruas. É aí que quer "travar" a direita. Neste sábado, curiosamente, nas mesmas ruas que Montenegro ia pisar. A meio do almoço, os jornalistas são surpreendidos com uma arruada surpresa em Lamego. Já lá vamos.

Almoço-comício é formato escolhido para o arranque destes dias em estrada (Lusa)

Primeiro temos de falar de Carlos Mendes e Angelina Silva, casados há 54 anos. É um feito, sim. Mas Carlos tem outra curiosidade para contar. "Sempre fui do PSD", confessa. Até que uma palavra do presidente da concelhia do PS em Guimarães o fez encontrar outra luz na política. "Todos nós podemos mudar de vida. Basta seguir o coração".

Carlos já foi do PSD. Hoje "o coração" bate pela mãozinha fechada

Uma mensagem para os indecisos, para quem nestes dias de campanha o PS promete falar muito. E que alimentam muita agitação por estas bandas. Manuel Machado, que nunca perdeu a paixão pelo partido em 38 anos de militância, lembra que a única sondagem que conta é a de 10 de março.

"Há tanta gente nervosa. é melhor não entrarmos nesse nervoso miudinho". Em Guimarães, deu um abraço a Pedro Nuno Santos. E não foi o único. Lembra-se de Francisco da Conceição Ribeiro, do início do artigo? Com a mão fechada do PS na lapela do casaco, também conseguiu um cumprimento ao secretário-geral. O penico é que ficou arrumado nesse momento.

Manuel Machado aconselha os socialistas a não se deixarem levar pelo nervosismo com as sondagens

Aí está ele nas ruas: mesmo que passe mais tempo na pastelaria

A já icónica gola alta preta de Pedro Nuno Santos ajuda a lidar com o frio. É que, no caminho desde Guimarães, a temperatura baixa. E não é pouco. A arruada marcada de última hora é em Lamego. Nas mesmas ruas para onde o rival Luís Montenegro tem uma iniciativa marcada na tarde deste sábado. Pedro Nuno descarta que tenha sido por isso. É antes uma paragem técnica, a caminho de um "grande comício" em Viseu, "maior" do que o da Aliança Democrática.

Passagem por Lamego não demorou meia hora (Lusa)

A Lamego vem vincar que "a rua vai ser determinante", que é no contacto com o povo que o PS "está mais à vontade". Embora, por aqui, não gaste muito tempo ao ar livre. Faz parar o pouco trânsito, quatro ou cinco carros, com direito a buzinadelas.

Hora de entrar na pastelaria Solar do Espírito Santo. A ver se ele (ou a padroeira da terra, a Senhora dos Remédios) ajudam nesta empreitada de chegar a primeiro-ministro. Um socialista na sala. Para surpresa de todos os que tomam o lanche. É o caso de Joaquim e Marisa Gonçalves. "Pediu-nos desculpa por interromper. Foi a fugir". Tão a fugir que Joaquim não tem tempo de lhe pedir para baixar os impostos. "Pode ser que ele leia o seu artigo e veja".

Pedro Nuno Santos à espera da famosa bola de Lamego (CNN Portugal)

Pedro Nuno Santos, esse, investe mais minutos ao balcão, rodeado de Elza Pais e José Rui Cruz, os nomes no topo da lista de deputados por Viseu. Para comer um "bocadinho de bola de Lamego". Tenta passar a conta da iguaria para os repórteres de imagem. Não é bem sucedido.

Nem na conta nem a evitar a chuva na hora da despedida. Não há guarda-chuva que se abra para protegê-lo. Por mais que uma senhora grite para alguém se chegar à frente. Vamos lá ver se uma campanha molhada também é abençoada.

Lanche em Lamego foi interrompido pelo candidato a primeiro-ministro (Lusa)

 

Continue a ler esta notícia

Relacionados