Afinal, o que é mais eficaz na perda de peso: cortar calorias ou fazer jejum? - TVI

Afinal, o que é mais eficaz na perda de peso: cortar calorias ou fazer jejum?

  • CNN Portugal
  • DCT
  • 1 jul 2023, 22:00
Jejum intermitente (Freepick)

Na hora de tentar perder quilos, as diferenças podem não ser tão notórias como o pensado

Relacionados

Quando o objetivo é perder peso, reduzir a quantidade de calorias ingeridas ao longo do dia ou adotar períodos de jejum parece ter o mesmo efeito, diz um recente estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos.

Para o estudo, os cientistas compararam 90 participantes com obesidade, com idades entre os 18 e os 65 anos, divididos aleatoriamente em três grupos: um em que podiam apenas alimentar-se durante oito horas (entre as 12:00 e as 20:00), outro em que reduziram em 25% as calorias ingeridas por dia e um terceiro que serviu de controlo e no qual não havia limitação calórica ou de tempo.

Ao fim de seis meses, revela o site The Conversation, em ambas as dietas os participantes tinham perdido 5% do seu peso total e deu-se, então, início à fase de manutenção do novo peso, em que foi aumentado o aporte calórico diário conforme as necessidades dos participantes e reduzida a janela de tempo em jejum para oito horas.

Segundo a revista científica Annals of Internal Medicine, na qual a investigação foi publicada, apenas 77 participantes concluíram o estudo, ainda assim, foi possível perceber que não há uma “diferença estatisticamente significativa” entre o jejum e a restrição calórica.

Passados 12 meses e ao comparar os dois grupos com limitações alimentares com aquele que serviu de controlo, os participantes que fizeram o jejum de 16 horas tinham menos 4,61 quilos no final do estudo, enquanto aqueles que limitaram as calorias pesavam menos 5,42 quilos, uma diferença de cerca de 800 gramas. 

Apesar de a perda de peso ter sido residual e idêntica nas duas dietas, o estudo mostra que ambas são eficazes na redução do perímetro abdominal - um dos principais fatores de risco para a saúde -, assim como da massa gorda total. Porém, “nenhuma das dietas mostrou diferença nos marcadores de saúde, como os níveis de glicose, insulina ou colesterol”, lê-se no The Conversation.

Além de não ser indicado para todas as pessoas, no início deste ano, um estudo já tinha mostrado que o jejum intermitente pode não ser tão bom para perder peso como se pensava, já que os investigadores não encontraram qualquer associação entre restringir os horários e a perda de peso.

Continue a ler esta notícia

Relacionados