Os treinadores pessoais estão na moda, beneficie disso - TVI

Os treinadores pessoais estão na moda, beneficie disso

  • CNN
  • Melanie Radzicki McManus
  • 5 fev, 10:15
Exercício físico

E não se esqueça: "A verdadeira forma física é viver a vida que merecemos viver"

Esta tendência de fitness pode compensar

por Melanie Radzicki McManus, CNN

Inscreva-se na newsletter Fitness, But Better da CNN. O nosso guia em sete partes ajudá-lo-á a iniciar uma rotina saudável, apoiada por especialistas.


Trabalhar individualmente com um treinador costumava ser apanágio dos atletas de elite - ou dos ricos e famosos. Agora já não. O treino pessoal tem vindo a ganhar popularidade nos últimos tempos, prevendo-se que o mercado do treino físico cresça 14% de 2022 a 2032, de acordo com o Gabinete de Estatísticas do Trabalho dos EUA. Este crescimento é muito mais rápido do que a média de todas as profissões, segundo a agência.

A popularidade dos treinadores pessoais também não se limita aos Estados Unidos. O mercado global de instrutores pessoais de fitness valia cerca de 38,72 mil milhões de euros em 2023 e a empresa de pesquisa de mercado Future Market Insights prevê que vai aumentar para 60,67 mil milhões de euros em 2033.

Porque é que a formação pessoal está tão difundida atualmente? Os especialistas dizem que se deve a uma série de fatores, incluindo o aumento das taxas de obesidade, a crescente consciencialização dos benefícios de estar em forma e o grande número de pessoas que têm dificuldade em manter um regime de exercício por conta própria. Um número crescente de estudos sugere também que a prática de exercício físico com um personal trainer tem uma série de benefícios.

De acordo com um estudo de 2014 publicado no Journal of Strength and Conditioning Research, os membros do ginásio que treinaram com um personal trainer em vez de treinarem sozinhos registaram melhorias significativas na massa corporal magra e noutros aspetos da condição física.

Veteranos mais velhos com inúmeras doenças e condições médicas reduziram o uso de medicamentos sob a tutela de um personal trainer, de acordo com um estudo de 2020 publicado na Gerontology and Geriatric Medicine. E um estudo de 2017 descobriu que os participantes em exercícios em pequenos grupos liderados por um personal trainer compartilhado - que também forneceu treino individualizado - relataram mais energia, melhor saúde, maior autoconfiança com os exercícios e maior satisfação com a vida.

Os dois maiores benefícios de contratar um personal trainer - quer seja um novato ou um profissional do exercício - são a responsabilidade e a motivação, diz Mary Wing, uma personal trainer certificada e treinadora de desempenho com a aplicação de fitness Future.

"Ter alguém que o motive e o responsabilize por aparecer e completar os seus treinos é enorme", afirma Wing, que está sediada em Sanford, Carolina do Norte, mas treina os seus clientes virtualmente.

Nota antes de iniciar qualquer novo programa de exercício, consulte o seu médico. Pare imediatamente se sentir dores

Como começar

Intrigado? Antes de se apressar a inscrever-se em algumas sessões, faça a sua pesquisa. O treino pessoal pode ser feito num ginásio, ao ar livre, em casa ou virtualmente, por isso pense na opção que se adapta melhor à sua personalidade e ao seu estilo de vida.

Os ginásios requerem uma inscrição, por exemplo, e o treino pessoal é normalmente um custo adicional. O treino ao ar livre ou em casa pode ser mais do seu agrado e conveniência, enquanto o treino virtual oferece a maior flexibilidade, uma vez que pode ser feito em qualquer lugar, mesmo em viagem.

Há treinadores especializados em treinar pessoas idosas ou com problemas de saúde, diz o personal trainer certificado Allan Misne (foto Allan Misner)

O treinador que selecionar deve ser certificado por uma agência de credenciação de renome, como a National Academy of Sports Medicine, o American College of Sports Medicine ou o American Council on Exercise. Estes grupos exigem várias semanas de formação e treino, após o que é necessário passar um teste. Organizações de menor qualidade podem simplesmente exigir algumas horas de leitura, seguidas de um teste online.

"Verifique novamente as certificações e investigue os seus antecedentes", afirma Wing. Muitos treinadores são certificados em várias áreas - pense em nutrição ou fitness pré-natal e pós-natal -, proporcionando um benefício extra.

Também é aconselhável perguntar sobre a experiência de um treinador. "Se você for mais velho, tiver diabetes ou tiver problemas nas articulações ou no coração, vale a pena perguntar se já treinaram alguém como você", diz Allan Misner, um treinador pessoal certificado em Bocas del Toro, Panamá.

Misner, que se especializou no treino de adultos mais velhos e é o anfitrião do podcast "40+ Fitness", afirma que pode ser um desafio encontrar um personal trainer num grande ginásio que tenha uma especialidade de treino. "Isso deve-se ao facto de terem de trabalhar com quem entra pela porta", afirma. "Mas as pessoas com mais de 40 anos podem ter dores nos joelhos ou nas costas, ou desequilíbrios musculares, que exigem cuidado e compreensão."

Também precisa de se sentir confortável com o seu treinador, uma vez que a experiência é algo íntima. Entreviste alguns antes de escolher um. O treinador deve perguntar sempre quais são os seus objetivos e ouvir atentamente as suas respostas. Uma pessoa que pretenda correr uma maratona, por exemplo, precisará de um treino diferente de alguém que pretenda sentar-se no chão e brincar com um neto.

Também é importante conhecer o seu estilo de treino. Está à procura de alguém que lhe dê a mão durante os treinos ou de alguém que seja mais do tipo sargento? O cliente, por sua vez, precisa de ser claro quanto às suas preferências e expectativas.

"Estes programas são personalizados, pelo que os clientes têm de me dizer o que procuram", afirma Wing. "Não posso adivinhar. Precisa de mais motivação? Um check-in diário?"

A perda de peso é o principal objetivo da maioria dos clientes, afirmam Wing e Misner. Se esse for também o seu, terá de ser realista. Não é saudável tentar perder, digamos, cinco quilos por semana, diz Wing. E o exercício por si só não fará com que perca peso, acrescenta Misner.

"Especialmente se estiver na casa dos 50 ou 60 anos, e se a perda de peso é o seu objetivo, é melhor consultar um nutricionista", diz ainda Misner.

Cuidado com os sinais de alerta

Depois de selecionar o seu treinador, há alguns sinais de alerta a que deve estar atento. Embora queira um treinador que o pressione, isso tem de ser feito dentro do razoável.

"Os empurrões suaves que o levam a sair ligeiramente da sua zona de conforto são bons", afirma Misner. "Mas se eles estão a tentar  empurrá-lo mais e mais, isso pode ser um problema."

Wing considera que um bom treinador também ouve sempre o feedback. Se os clientes disserem que um exercício é desconfortável ou que simplesmente não gostam dele, o treinador não deve continuar a prescrever esse exercício.

No final, porém, contratar um personal trainer pode ser uma forma segura e eficaz de conseguir uma vida mais saudável, que é o objetivo principal.

"A verdadeira forma física não tem que ver com o quanto consegue levantar ou com a rapidez com que consegue correr", diz Misner. "Quero ser capaz de abrir os meus próprios frascos, limpar o meu próprio rabo quando tiver 105 anos e fazer todas as coisas que gosto de fazer para o resto da minha vida. A verdadeira forma física é viver a vida que mereces viver."


Melanie Radzicki McManus é uma escritora freelancer especializada em caminhadas, viagens e boa forma física.

Continue a ler esta notícia