A Polícia Judiciária capturou esta manhã na grande Lisboa um ex-oficial do Exército, considerado perigoso, especialista em armas, com antecedentes por crimes violentos e posse de armas proibidas e suspeito de ter planeado um atentado contra o Presidente da República, apurou a CNN Portugal.

Em comunicado, a Polícia Judiciária avança que o detido é suspeito da prática dos crimes de coação agravada, de extorsão na forma tentada e de detenção de arma proibida.

As ameaças dirigidas a Marcelo Rebelo de Sousa chegaram em finais de outubro à Casa Civil, através de uma carta com uma exigência de pagamento de um milhão de euros, indicando mesmo o número de uma conta bancária para onde deveria ser feita a transferência, e o aviso de que se tal não ocorresse num curto espaço de tempo o Presidente da República seria morto a tiro. Na altura das ameaças, o Presidente da República não estava na residêndia oficial.

Dentro do envelope seguia ainda uma bala, que tal como a carta foram desde logo remetidas para a Unidade de Contraterrorismo da PJ e sujeitas a perícias no Laboratório de Polícia Científica. A carta anunciava o número de uma conta bancária para onde o dinheiro devia ser transferido. 

A PJ seguiu o rasto dos indícios e, passados três meses, chegou agora ao autor da ameaça ao Presidente da República, que esta manhã foi localizado e detido numa operação cirúrgica mas com elevadas medidas de segurança, dada a perigosidade do suspeito. Foi ainda feita uma busca à residência do suspeito e apreendidos vários elementos de prova.

Será presente a tribunal, entre outros crimes por atentado ao Presidente da República, e arrisca ficar em prisão preventiva.

Henrique Machado / notícia atualizada às 13:07