O líder parlamentar do PS, Eurico Brilhante Dias, acusou esta quarta-feira o PSD de mentir, insistindo que o primeiro-ministro, António Costa, rejeitou ter feito qualquer diligência em favor da idoneidade de Isabel dos Santos.

“É absolutamente falso que nalguma circunstância o senhor primeiro-ministro tenha admitido ou considerado mesmo, no tempo, qualquer interferência no caso da idoneidade da engenheira Isabel dos Santos”, defendeu o líder parlamentar dos socialistas, em declarações aos jornalistas no parlamento.

Momentos antes, o líder parlamentar do PSD, Joaquim Miranda Sarmento, considerou que o primeiro-ministro confirmou, nas respostas ao partido, que “interferiu junto do Banco de Portugal” quer no caso que envolve Isabel dos Santos quer no processo de resolução do Banif.

Eurico Brilhante Dias afirmou que tal “é absolutamente falso”.

“Sublinho, [é] absolutamente falso: em momento algum o senhor primeiro-ministro disse ou escreveu que teve qualquer interferência no caso em particular da idoneidade da engenheira Isabel dos Santos”, frisou.

O que disse o primeiro-ministro, continuou o socialista, “é que tinha um problema que se conhecia sobre o BPI, a estrutura acionista do BPI, e também disse que o banco Banif foi deixado no limite da resolução quando a 01 de janeiro de 2016 os depositantes do Banif corriam o risco de ver os seus depósitos resgatados, cortados”.

António Costa enviou na terça-feira ao parlamento a resposta às perguntas que lhe foram colocadas pelo PSD em 23 de novembro passado, depois de o ex-governador do Banco de Portugal Carlos Costa o ter acusado de pressão e de “intromissões políticas” no processo de afastamento da empresária Isabel dos Santos do BIC.