Suspeito de ataque com substância corrosiva no Reino Unido já foi condenado por agressão sexual - TVI

Suspeito de ataque com substância corrosiva no Reino Unido já foi condenado por agressão sexual

Abdul Shokoor Ezedi, suspeito de ataque em Londres (DR)

A polícia continua à procura de um homem de 35 anos, considerado “muito perigoso” e que está "gravemente ferido". Foi montada uma operação de caça ao homem

Abdul Shokoor Ezedi, o homem de 35 anos que é suspeito de um ataque com uma substância corrosiva que provocou 12 feridos feridos no Reino Unido, na última quarta-feira, já foi condenado, em 2018, por agressão sexual. De acordo com o jornal The Guardian, o homem, que é considerado “muito perigoso” e é procurado pela polícia britânica, declarou-se culpado de uma acusação de agressão sexual e outra de atentado ao pudor.

Os jornais britânicos, dão conta, esta sexta-feira, que Ezedi foi condenado pelo tribunal da coroa de Newcastle a 9 de janeiro de 2018, a uma pena de prisão de nove semanas com suspensão de dois anos pela agressão sexual. Pelo crime de atentado ao pudor, foi-lhe aplicada uma pena de 36 semanas de prisão, a cumprir consecutivamente, também suspensa por dois anos.

A polícia britânica montou uma autêntica caça ao homem. Divulgou fotografias do suspeito, que estará “gravemente ferido”, e pede a quem o avistar para não se aproximar e contactar imediatamente as autoridades.

Abdul Shokoor Ezedi foi visto pela última vez na quarta-feira à noite, na zona norte de Londres. Nesse mesmo dia, tinha atacado uma mulher de 31 anos e a filha de três com uma substância corrosiva, provocando-lhes ferimentos considerados “permanentes”. Outra filha da mesma mulher, com apenas oito anos, foi também atingida e permanece igualmente internada no hospital. Agentes da polícia que acorreram ao local e populares que tentaram socorrer as vítimas foram também feridos, perfazendo um total de 12 vítimas.

O suspeito tentou fugir de carro do local, mas acabou por se despistar e embater noutro veículo que estava estacionado e fugiu a pé.

As autoridades acreditam que Ezedi se tratou de um ataque direcionado e que era conhecido da mulher e das duas crianças, mas não é clara a relação entre vítimas e agressor. As motivações para o ataque são desconhecidas.

Esta quinta-feira, a Polícia Metropolitana de Londres divulgou uma fotografia do homem, retirada de imagens de videovigilância, onde é visível o rosto com ferimentos.

De acordo com a BBC, Ezedi chegou ao Reino Unido em 2016, proveniente do Afeganistão. Ainda em 2016, apresentou um primeiro pedido de asilo, que lhe foi recusado. Tentou um segundo pedido, alegando que se tinha convertido ao Cristianismo e corria risco de vida se regressasse ao Afeganistão. Após nova recusa, ele recorreu e acabou por ver o pedido de asilo concedido, com base em testemunhas que atestaram a sua conversão.

Continue a ler esta notícia