Portugal lidera um ranking mundial: tem a capital onde as rendas mais subiram (mais do dobro que no Dubai, por exemplo) - TVI

Portugal lidera um ranking mundial: tem a capital onde as rendas mais subiram (mais do dobro que no Dubai, por exemplo)

  • ECO - Parceiro CNN Portugal
  • Ana Petronilho
  • 22 ago 2023, 17:33
Habitação (GettyImages)

O Financial Times diz que esta subida vertiginosa deve-se "às políticas iminentes de controlo das rendas"

Lisboa é a capital mundial onde se registou a maior subida de rendas, sobretudo em casas premium, quer seja no primeiro semestre do ano como em termos homólogos.

De acordo com o estudo da consultora Savills internacional “Índice Mundial do mercado Residencial Prime”, a que o ECO teve acesso, entre as 30 cidades analisadas, no primeiro semestre deste ano o valor das rendas em Lisboa subiu 13,9%. E em junho o aumento ascendeu a 32,7% em termos homólogos.

Com esta escalada nos preços das casas premium, o aumento das rendas em Lisboa, no primeiro semestre do ano, ultrapassa os valores registados em cidades como Singapura (13,6%), onde se registou a segunda maior subida, ou Berlim (9,2%), com o terceiro maior aumento. E é mais do dobro da subida registada em cidades como Dubai, onde o aumento foi de 5,4% entre janeiro e junho deste ano, ou em Kuala Lumpur com uma subida de 4,3%.

O estudo da Savills internacional sublinha que os mercados de arrendamento de Lisboa e Singapura “assistiram a níveis significativos de crescimento de preços ao longo dos últimos 18 meses, com os rendas a subir acima de 40%” à medida que “houve uma maior procura de inquilinos internacionais que impulsionaram o mercado de residências premium”.

Mas o Financial Times, que escreveu sobre o tema, aponta uma outra razão para a subida vertiginosa nas rendas em Lisboa. O jornal refere que este será um resultado das “políticas iminentes de controlo das rendas, que levaram alguns proprietários a aumentar preventivamente as rendas”. Em causa está o limite de 2% na atualização do valor das rendas, em vez de refletir o valor da inflação, em vigor desde janeiro deste ano. Para os novos contratos de arrendamento, o travão de 2% na atualização irá entrar em vigor com o diploma Mais Habitação, vetado esta segunda-feira pelo Presidente da República mas que o PS irá aprovar novamente no Parlamento.

Entre as dez cidades europeias analisadas no estudo, a que o ECO teve acesso, depois de Lisboa e Berlim surge Amesterdão na oitava posição, onde no primeiro semestre deste ano as rendas subiram 3,3%, logo seguida de Barcelona com um aumento de 3% e de Milão e Madrid com 2,9%.

Em Londres e Roma o aumento semestral foi de 1,9% e em Atenas de 1,8%. Paris foi onde a subida foi menos acentuada com 0,2%.

Continue a ler esta notícia