Reserva Federal dos Estados Unidos aumenta taxas de juro pela décima vez para conter inflação - TVI

Reserva Federal dos Estados Unidos aumenta taxas de juro pela décima vez para conter inflação

  • Agência Lusa
  • PF
  • 3 mai 2023, 19:43
Mulher de 78 anos é acusada de assaltar bancos pela terceira vez. (Luis Robayo/Getty Images)

Em comunicado, a Fed não fez qualquer referência sobre se esta poderá ser a última subida antes de uma pausa devido à instabilidade do sistema bancário

A Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) divulgou esta quarta-feira uma nova subida das taxas de juro, de 25 pontos-base, mantendo a determinação em conter a inflação, apesar dos sinais da desaceleração da economia e da recente crise bancária.

O aumento, o décimo no último ano, está em linha com o previsto pelos analistas e surge num contexto de elevada instabilidade bancária, noticiou a agência Efe.

Em comunicado, a Fed não fez qualquer referência sobre se esta poderá ser a última subida antes de uma pausa devido à instabilidade do sistema bancário.

A principal taxa da Fed encontra-se agora no intervalo de 5 a 5,25%, a mais elevada desde 2006, decisão tomada por unanimidade, anunciou a instituição em comunicado divulgado após a reunião do seu comité de política monetária (FOMC).

No comunicado, as autoridades da Fed especificam apenas que irão observar os efeitos das sucessivas decisões, e o atraso com que afetam a economia real, mas também a "evolução económica e financeira", para decidir sobre a necessidade ou não de mais medidas.

Esta posição marca uma mudança de tom em relação às reuniões anteriores, quando se antecipou a necessidade de continuar a aumentar as taxas.

A crise bancária deu um apoio inesperado à luta da Fed contra a inflação: “o aperto das condições de crédito às famílias e às empresas deverá pesar na atividade económica, nas contratações e na inflação”, sublinhou também a Reserva Federal dos EUA, frisando que “o sistema bancário é sólido e resiliente”.

Continue a ler esta notícia