Rússia diz que repeliu "ataque terrorista" com cinco drones ucranianos em Moscovo - e culpa o Ocidente por estar a "financiar" isto - TVI

Rússia diz que repeliu "ataque terrorista" com cinco drones ucranianos em Moscovo - e culpa o Ocidente por estar a "financiar" isto

  • CNN Portugal
  • BCE
  • 4 jul 2023, 09:53
Soldado ucraniano a pilotar drone num abrigo em Chasiv Yar (Iryna Rybakova via AP)

A Ucrânia ainda não comentou as alegações de Moscovo

Relacionados

O Ministério da Defesa da Rússia acusou a Ucrânia de ter lançado, na noite desta segunda-feira, um "ataque terrorista" com pelo menos cinco drones em Moscovo, que obrigou à interrupção do funcionamento do aeroporto de Vnukovo, nos arredores da capital russa.

De acordo com a mesma fonte, citada pela Reuters, a defesa antiaérea russa conseguiu abater quatro dos drones lançados, enquanto o quinto acabou por cair na zona de Odintsovo, nos arredores de Moscovo, depois de ser intercetado.

Apesar de não haver registo de vítimas ou danos nas infraestruturas, o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo classificou o episódio como um "ataque terrorista", uma vez que, no seu entender, teve como alvo "uma área onde estão localizadas infraestruturas civis", incluindo o aeroporto de Vnukovo, que se viu forçado a suspender e redirecionar vários voos durante as primeiras horas desta terça-feira. A situação ficou normalizada pelas 08:00 horas locais (06:00 em Lisboa).

“A tentativa do regime de Kiev de atacar uma área onde estão localizadas infraestruturas civis, incluindo o aeroporto - que, aliás, também recebe voos estrangeiros - é mais um ato de terrorismo”, acusou a porta-voz daquele ministério, Maria Zakharova, numa mensagem publicada na plataforma Telegram.

Maria Zakharova foi mais longe e culpou os Estados Unidos, o Reino Unido e a França - "membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU", assinalou - por estarem a "financiar um regime terrorista".

A Ucrânia, que raramente assume publicamente a responsabilidade por ataques no território russo, ainda não comentou as alegações dos ministérios da Defesa e dos Negócios Estrangeiros de Moscovo.

Continue a ler esta notícia

Relacionados