OMS alerta para surto de botulismo em França que pode afetar outros países - TVI

OMS alerta para surto de botulismo em França que pode afetar outros países

Cientistas (Getty Images)

Pelo menos 10 casos de botulismo, incluindo uma morte, foram registados em Bordéus e teme-se que tenha afetado turistas que se deslocaram à cidade para o Mundial de Râguebi

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou, esta quarta-feira, para um surto de botulismo na cidade de Bordéus, em França, com risco de se estender a outras cidades francesas e mesmo a outras países, já que pode ter afetado turistas que se deslocaram àquela cidade francesa por causa do Mundial de Râguebi. De acordo com um comunicado emitido pela OMS, as análises epidemiológicas apontam para o consumo de conservas artesanais de sardinha, em diferentes datas, no mesmo restaurante de Bordéus, na semana entre 4 e 7 de setembro.

Ainda de acordo com o mesmo comunicado, as autoridades de saúde locais identificaram um foco de 10 casos suspeitos, no último dia 12, que aumentaram para 15, incluindo uma morte, dois dias depois.

A bactÉria que provoca o botulismo tem oito dias de incubação e o restaurante foi muito frequentado por turistas que se deslocaram à cidade aquando do Mundial de Râguebi, que decorre em várias cidades francesas, incluindo Bordéus. Por isso, a OMS alerta para o risco de surgirem mais casos entre turistas que estiveram na cidade até 18 de setembro.

De acordo com a BFMTV, o caso mortal é o de uma mulher, na casa dos 30 anos, que estava de visita a Bordéus com o marido, que está ainda internado em cuidados intensivos. Outras sete pessoas permanecem internadas.

O botulismo é uma doença rara provocada pela bactéria Clostridium botulinum. Trata-se de um microorganismo que produz esporos que libertam substâncias tóxicas - a toxina botulínica - para o nosso sistema nervoso, provocando um quadro de paralisia dos músculos, com insuficiência respiratória e eventualmente morte. Esta toxina é considerada a mais letal produzida por uma bactéria.

Continue a ler esta notícia